Painel Político
A maior agência de notícias em seu Whatsapp do Brasil

Mulher é presa suspeita de raptar bebês de colegas para enganar marido, em GO

Uma das mães desistiu de participar da farsa e a outra alega que teve filha roubada. Como a detida só estava com um bebê, disse ao esposo que a outra criança tinha sido sequestrada.

0

Uma mulher de 35 anos foi presa na quinta-feira (9) suspeita pegar dois bebês de amigas após sofrer um aborto de gêmeos, com o objetivo de enganar o marido para que ele não descobrisse. Porém, uma das mães desistiu de participar da farsa e, com isso, a mulher detida chegou a registrar um boletim de ocorrência falando que teve uma filha sequestrada.

De acordo com as investigações, Mizia Pereira de Moraes, que é do Pará, afirma ter perdido gêmeos no quarto mês de gestação. Para que o marido, que mora em Goiânia, não soubesse, decidiu manter uma gravidez falsa e, assim, manter o casamento.

Ainda de acordo com a Polícia Civil, a mulher fez um acordo com outras duas mulheres para que ela pudesse pegar o bebê delas e apresentar para marido como se fossem filhas do casal e, assim, manter a farsa. Uma delas mora no Pará e a outra, em Aparecida de Goiânia.

Porém, uma das mulheres que emprestou o bebê desistiu. Imagens da câmera de segurança de uma casa no Setor Veja Jardim, em Aparecida de Goiânia, mostram duas mulheres, que seriam Mizia e uma das mães dos bebês, conversando na rua. Um carro estaciona na porta e Mízia entra na residência. Nesse momento, a outra mulher entra no veículo com a filha e sai.

Com a desistência de uma das mulheres em deixar que Mizia levasse o bebê, a suspeita decidiu levar apenas uma criança até o marido. Questionada pelo homem, ela contou que uma das filhas tinha sido sequestrada.

O Conselho Tutelar foi chamado por uma vizinha, que viu a mulher chorando na porta de casa e dizendo que teve a filha levada por uma amiga. “Ela disse que essa amiga convidou ela pra ir a um shopping. Elas arrumaram um carro e essa amiga da Mizia pediu para que ela fosse em casa pegar uma frauda porque o trajeto até o shopping era longo. A Mizia nos relatou que, quando ela saiu para fora, não encontrou mais nem o carro e nem a suposta amiga”, disse o conselheiro tutelar Wiliomar Francisco dos Santos.

Pressionada, Mizia foi até uma delegacia e registrou um boletim de ocorrências. Ela apresentou certidões de nascimento falsas e, inicialmente, conseguiu enganar a polícia.

“Chegou uma mãe falando que sua filha foi sequestrada, trouxe a foto da criança, desesperada, conta uma história na qual, as imagens da câmera de segurança, batem certinho, então você realmente acha que aquilo aconteceu”, disse Ilda Helbingen.

Entretanto, quando a delegada entrou em contato com a Polícia Civil do Pará, descobriu que havia um boletim de ocorrências registrando o sequestro de uma criança com as mesmas características do bebê que estava com Mizia.

“O pai de uma dessas crianças foi na delegacia do Pará contando que a mulher dele tinha passado a noite na casa da Mizia a convite dela, que fizeram um jantar, e que ela tinha chegado em casa sem a criança, dizendo que ela tinha acordado sem a criança do lado e sem ninguém na casa. Aparentemente a Mizia teria colocado alguma droga na bebida ou comida dela. Ela não lembrava de nada, mas percebeu que tinham R$ 1, 7 mil ao lado dela”, contou a delegada.

No mesmo momento, a mulher que desistiu de entregar o bebê procurou a delegacia para desmentir toda a história de Mizia. Ela explicou que foi convencida a participar da farsa, mas mudou de ideia no último instante.

A delegada acredita que o marido de Mizia não tenha nenhum envolvimento com o crime e foi enganado pela mulher. Agora, a polícia ainda vai apurar qual o real envolvimento das verdadeiras mães da criança na farsa.

“A gente entende que é diabólico, porque só uma mente muito perturbada para fazer o que ela fez”, concluiu a delegada.

Mizia foi presa em flagrante e deve responder por falsificação de documentos, falsa comunicação de crime e sequestro. Os bebês vão ficar em um abrigo até a confirmação de quem são as verdadeiras mães.

Procurada pela equipe da TV Anhanguera na delegacia, a mulher não quis dar entrevista. O G1 ainda não conseguiu localizar a defesa da suspeita.

Fonte: g1
Comentários
Carregando