Mulher mata marido e amante que não conseguiram engravida-la

Ela foi considerada tão perigosa que foi enviada para um presídio masculino

Estibaliz Carranza ficou conhecida como “assassina do sorvete” e as autoridades consideram-na extremamente perigosa e malvada, pois decidiram que seria melhor mudá-la para uma presídio masculino.

De origem, espanhola, Carranza assassinou seu ex-marido em 2010 e na sequência seu amante depois que nenhum dos dois conseguiu engravidá-la. Como se tirar suas vidas já não bastasse, ela cortou seus corpos em pedaços usando uma motosserra e escondeu-os em um freezer no porão de sua sorveteria.

Mais tarde ela despejou concreto no freezer em que estavam.

Os vizinhos acharam estranho a barulheira da serra elétrica dentro de casa e quando alguém mais curioso perguntou a ela sobre isso, apenas respondeu que tinha comprado uma nova máquina de bater sorvete mais potente.

Em uma dessas ironias da vida e do destino, a mulher que estava desesperada para ter um filho descobriu que estava grávida de um novo amante na manhã em que foi presa. A criança vive hoje com o pai, que, corajosamente, se casou com Estibaliz na cadeia.

Estibaliz (nome de origem basco que significa “muito doce”), que tem 38 anos, foi condenada à prisão perpétua em 2012 e recentemente foi transferida de uma instituição mental de segurança de Schwarzau para uma instalação em Asten, perto da cidade de Linz na Áustria, que é uma prisão de segurança máxima que já detém 91 homens.

Ela é a primeira prisioneira a ser transferida para lá, com 13 outros que devem ter o mesmo destino em breve. A psicóloga que acompanhou o caso da “doce” espanhola, Heidi Kastner, chegou a dizer que Estibaliz tem uma alta chance de recaída e que a terapia provavelmente não seria eficaz para ela.

Enquanto isso, Rudolf Mayer e Werner Tomanek, advogados da mulher, afirmam que ela teve melhorias significativas desde que foi presa em Schwarzau e que a maternidade fez dela uma nova mulher. Em uma declaração a imprensa, eles disseram:

– “É importante que nossa cliente possa finalmente ser abrangentemente tratada.”
Os advogados esperam que a “sorveteira” seja transferida para uma prisão na Espanha, mas as autoridades insistem que isso só será possível se for considerada completamente curada, o que parece pouco provável.

As informações são do The Sun

Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Participe do debate. Deixe seu comentário