Na BR 364, ‘a estrada da morte’, 111 pessoas perderam a vida em 2015

Números da Polícia Rodoviária Federal comprovam que ela merece ser chamada de “rodovia da morte”

Os números parecem ser de uma guerra. Foram 111 mortos em 365 dias de 2015. Na BR 364 em Rondônia foram registrados nesse período 1.256 acidentes, o que dá uma média de 3.44 acidentes por dia, deixando 1.229 pessoas com ferimentos leves e 476 feridos em estado grave e com sequelas. Os dados foram repassados pela Superintendência da Polícia Rodoviária Federal em Rondônia.

Agora em 2016, nos três primeiros meses do ano, já foram registradas pelo menos 10 mortes em acidentes na rodovia que atravessa o Estado. De norte a sul de Rondônia a população pede a duplicação da BR 364 em sua totalidade, mesmo assim tanto o DNIT quanto a bancada federal que tem competência para cobrar essa duplicação, ignoram o problema.

Matéria publicada por PAINEL POLÍTICO essa semana, mostrou o descaso da classe política com o problema. A BR 364 já fez tantas vítimas, que foi criada uma página no Facebook apenas para registrar os acidentes ocorridos na rodovia. E eles são causados em parte pela imprudência de alguns motoristas em ultrapassagens e parte pelo péssimo estado de conservação que se encontram diversos trechos, como o entre Pimenta Bueno e Vilhena.

Uma carreta tombou próximo à Vilhena na noite da última terça-feira espalhando soja na pista e impedindo o tráfego por pelo menos 3 horas. Nesta quarta-feira mais uma morte foi registrada na BR, vitimando o agente de saúde Joel Sena, em Ji-Paraná. Ele morreu quando a moto que pilotava bateu de frente com uma carreta. No último fim de semana, mãe e filha também morreram após uma carreta invadir a pista contrária para desviar de buracos. Esses tipos de acidentes já viraram rotina.

Apesar do elevado número de mortos e feridos, nenhum integrante da bancada federal se manifestou ou cobrou posicionamento do DNIT, órgão responsável pela manutenção das estradas federais.

 

Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Participe do debate. Deixe seu comentário