Painel Político
A maior agência de notícias em seu Whatsapp do Brasil

Natal a capital do vento e dona de uma paisagem invejada

0

Os 400 quilômetros de costa de Natal e arredores, emoldurados por dunas, recifes, falésias e piscinas naturais, fazem da capital do Rio Grande do Norte um dos destinos mais procurados do país. Junte-se a tudo isso passeios de bugue, rústicas vilas de pescadores, natureza preservada, noite agitada e sol quase todos os dias do ano. Resumo: férias perfeitas!

Natal foi fundada pelos portugueses no século 16, com a construção do Forte dos Reis Magos. A fortaleza, com formato semelhante ao de uma estrela de cinco pontas, é um dos principais cartões-postais da cidade. Além de guardar canhões e muitas histórias, descortina uma bela vista das praias urbanas da capital potiguar.

A mais procurada é Ponta Negra, concorrida durante o dia em função de seus quiosques; e badalada quando o sol se põe por reunir alguns dos melhores bares e restaurantes locais. Em muitos deles, o cardápio é repleto de delícias típicas da culinária regional à base de frutos do mar, carne-de-sol, feijão verde, arroz-de-leite…

O dia começa cedo em Natal. A primeira providência é alugar um carro – de preferência um bugue – para circular pela capital e arredores. Seguindo para o litoral Norte, os destaques são as dunas de Genipabu e as lagoas de Jacumã e Pitangui, onde são praticados o esquibunda e o aerobunda. Ao Sul, as tranquilas praias da região levam à vila de Pipa, a 90 quilômetros.

Quando o assunto é compras, os mercados de artesanato espalhados por Natal oferecem peças em madeira, tecido e vidro. No Centro de Turismo, um casarão onde funcionou a cadeia pública, os destaques são os delicados bordados em renda de labirinto e os coloridos trabalhos em cerâmica.

A primeira coisa a fazer para curtir os principais atrativos de Natal é alugar um carro ou contratar um bugueiro. Em seguida, é só decidir que direção tomar. Rumo ao litoral Norte, do outro lado do rio Potengi, está um verdadeiro parque de diversões natural em meio a dunas, lagoas e praias da região de Genipabu. Entre as atrações estão manobras radicais nos montes de areia, passeios a bordo de dromedários, aerobunda (tirolesa) e esquibunda (descida em pequena prancha) nas lagoas de Pitangui e de Jacumã. Vale a pena esticar o passeio até Maracajaú, um complexo de piscinas naturais a cinco quilômetros da costa.

Para o litoral Sul, as paisagens revelam algumas das mais belas praias da região, entre elas, as do vilarejo de Pipa. No caminho até lá, é obrigatória uma parada em Pirangi do Norte, onde está o maior cajueiro do mundo e ponto de partida rumo às piscinas naturais. Já em Pirangi do Sul, as águas tranquilas e cristalinas são perfeitas para a prática de esportes náuticos.

O ponto de encontro para curtir a noite potiguar é Ponta Negra. É para lá que seguem jovens, famílias e casais em busca de diversão. Além dos restaurantes, abriga bares movimentados com música ao vivo, alguns com programação diária. A variedade de estilos – rock, forró, jazz, MPB, axé e música latina – agrada a todos os gostos.

Antes de escolher onde entrar e dançar, dê uma volta na parte alta do bairro, nos arredores do Taverna Pub, um dos points da chamada zona boêmia. Por lá ficam também o Decky, com música ao vivo e bar com telão; o Pepper’s Hall, com um som diferente a cada noite; e o Rastapé, que lota ao ritmo de sanfona e zabumba.

Na Via Costeira, os grandes hotéis ali instalados promovem eventos todas as noites, com shows de música e dança, além de bufês especiais (nordestino, de frutos do mar, tropical, árabe…). Pra quem não abre mão de um bom arrasta-pé, o Centro de Turismo promove o “Forró com Turista”, um show de música regional nas noites de quinta.

O movimento noturno é garantido também na Praia dos Artistas, com o vai-e-vem de turistas pelos bares e restaurantes; e no antigo bairro da Ribeira, frequentado pelo público jovem nas noites de sexta e sábado.

Comentários
Carregando