fbpx
Nem todas as emendas anunciadas devem ser liberadas – Resenha Política

Uma vez que estamos em período pré-eleitoral, os deputados, candidatos à reeleição, querem mostra serviço visando renovar o mandato

SUPERDIMENSIONADO – O jornalista Alan Alex, editor do Painel Político, revelou em primeira mão que as finanças estaduais não estão tão bem robustas como propala o ex-governador Confúcio Moura. A coluna foi a campo para verificar a informação e constatou que a revelação feita por Alan é a mais absoluta verdade. Uma fonte deste cabeça chata que analisa as contas públicas confirmou que dados estaduais foram superdimensionados pelo governo passado o que obrigou o atual governador Daniel Pereira a cortar gastos em oitenta milhões. É possível que novos cortes sejam feitos para evitar atrasos nas despesas com pessoal.

EMENDAS – Embora os municípios estejam tomados com outdoor anunciando a destinação de emendas parlamentares para investimentos feitos pelos deputados estaduais, nem todas as emendas serão liberadas como anunciadas. Uma vez que estamos em período pré-eleitoral, os deputados, candidatos à reeleição, querem mostra serviço visando renovar o mandato. O problema é que tais serviços não estão claros à vista do eleitor. A emenda anunciada é pior que o soneto, ou seja, pode virar mico.

PREDADOR – O avanço político do deputado estadual Léo Moraes (PPS) na capital, especialmente após o resultado das urnas nas eleições municipais passadas, sobre os redutos dos deputados federais Mariana Carvalho (PSDB) e Lindomar Garçon (PRB), pode provocar mudanças na composição da bancada da Câmara Federal. Léo conseguiu amadurecer com a derrota de prefeito e caminha para canibalizar votos dos dois deputados federais.

MONITORAMENTO – Todos os partidos de Rondônia com representação no Congresso Nacional estão monitorando o eleitor para evitar sobressaltos. Não há um monitoramento interno honestamente tabulado que deixe de capturar a insatisfação do eleitor com a política e os políticos. A revolta é tão grande que os percentuais de rejeição começam a preocupar os eventuais candidatos. Na hipótese da indignação atual ser confirmada nas urnas em outubro, em votos nulos e brancos, as mudanças almejadas serão pequenas, visto que a lei eleitoral que encurtou a campanha favorece as velhas raposas mais do que os noviços que vão às urnas pela primeira vez.

FÔLEGO – O ex-secretário estadual de Saúde Williams Pimentel, provável candidato a deputado estadual pelo MDB, está conseguindo sobressair nas mídias sociais muito mais do que seus correligionários experimentados em eleições. É cedo para assegurar que Pimentel manterá o mesmo fôlego até outubro quando o eleitor decidirá o voto, mas a leveza com que mantém a pré-campanha pode ser preponderante na hora que o jogo começar para valer.

BRUTO – Quem pensou que a candidatura a senador de Confúcio Moura (MDB) fosse um passeio em decorrência da aparente aprovação do seu governo começa a perceber que vai ser uma disputa de gigantes. Além dele, Raupp (MDB) é um especialista em eleição e o surgimento do nome de Marcos Rogério (DEM) começam a mudar a configuração da disputa. Fátima Cleide (PT), Pastor Aluísio (REDE) e o jovem advogado Fabrício Jurado (NOVO), todos oriundos da capital, pulverizam os votos e tendem a levar a disputa para um acirramento ainda maior. Isto sem somar a este rol nomes que podem ser obrigados a entrar na mesma disputa com Jesualdo Pires (PSB) e Expedito Junior (PSDB), dependendo do quadro. Vai ser jogo bruto.

ESPECULAÇÃO – Com a especulação da candidatura de Marcos Rogério (DEM) ao Senado, os partidários de Jesualdo Pires (PSB) passaram também a especular seu nome para governador, visto que ambos são de Ji-Paraná, mesmo colégio eleitoral. A diferença entre os dois é que o deputado federal não necessita pedir autorização a ninguém para decidir o cargo a disputar já que preside o DEM. O ex-prefeito, filiado ao PSB, dependerá dos interesses de Mauro Nazif para saber o cargo que sobrará para disputar.

INGÊNUO – Em política não tem ingênuo nem bobo, esta é uma máxima dita para quem é profissional na área e sabe fazer de um limão uma limonada. Foi o que Confúcio Moura fez na visita aparentemente amistosa ao pré-candidato ao Senado Pastor Aluísio Vidal. A verdade é que Moura aproveitou a ingenuidade do pré-candidato da REDE, nome bem avaliado na capital, para faturar politicamente. Um dia após a visita, o ex-governador foi às mídias sociais para registrar o encontro e tecer loas ao adversário com o claro objetivo de acenar ao rebanho eleitoral do pastor. O que parecia uma visita entre amigos virou um ato político. Coisa de profissional.

PROFISSIONALISMO – Nesta quarta-feira (20), em Porto Velho, o escritório de advocacia ROCHA FILHO E VASCONCELOS realiza um seminário sobre financiamento e propaganda destinado aos profissionais de campanha eleitoral. É uma oportunidade para quem quer evitar cometer erros numa campanha que tende a ser a mais fiscalizada dos últimos anos. É um evento com a expertise de uma das maiores bancas especialistas na área, com profissionais multidisciplinares em campanha eleitoral.

Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Deixe uma resposta