No país da impunidade, Geddel brinca de “Tio Patinhas” enquanto o Brasil afunda na crise

Apartamento com fortuna em dinheiro vivo que pertence a Geddel Vieira Lima é encontrado em Salvador

Parece brincadeira, mas não é. A Polícia Federal localizou nesta terça-feira um apartamento que continha uma verdadeira fortuna em dinheiro vivo, armazenado em caixas de papelão e malas que pertencem ao ex-ministro Geddel Vieira Lima, aquele mesmo que chorou quando foi preso e sempre jurou inocência.

Geddel é político na Bahia, um Estado que carece de saúde, educação, segurança, onde em algumas regiões a população vive totalmente à margem do que deveria ter, minimamente garantido pela Constituição. E não tem.

O ex-ministro de Michel Temer, que está solto e sem tornozeleira, deveria ser preso imediatamente. O dinheiro roubado por ele, cujas imagens foram distribuídas pela Polícia Federal é um tapa na cara de milhões que hoje estão desempregados, com filhos passando fome, sem escola, sem saúde e pior, sem esperança.

Geddel Vieira Lima representa o que temos de pior na política brasileira. É cínico, oportunista, ladrão de sonhos e de dias melhores para um povo tão sofrido. Pior é a gente saber que no Brasil ninguém rouba sozinho. Se Geddel tem essa dinheirama toda, outros que o ajudaram também tem.

Está na hora de achar os esconderijos de Cunha, Cabral, Funaro e tantos outros que foram acusados de cobrar propina país afora.

Se Geddel continuar solto depois dessa, podemos acabar com a Lava Jato e entregar o país aos ratos.

Que deixem os ladrões brincarem de “Tio Patinhas” com dinheiro roubado enquanto afundamos na crise financeira, ética e moral e o último que sair, apague as luzes.

Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Deixe uma resposta