Nova Mitsubishi L200 deve chegar ao Brasil em 2016

[su_button url=”http://app.vc/painel_politico” target=”blank” style=”glass” size=”5" radius=”round” icon=”http://painelpolitico.com/wp-content/uploads/2015/03/image.png” text_shadow=”1px 1px 1px #000000"]Baixe nosso aplicativo para celular[/su[/su_button][su_frame align=”right”]ipt src="//pagead2.googlesyndication.com/pagead/js/adsbygoogle.js" async=""> [/su[/su_frame]tsubishi L200 chegou à sua quinta geração no final do ano passado, na Tailândia, e agora é oficialmente apresentada ao Ocidente no Salão de Genebra 2015. Global, a picape mostra traços de design genéricos.

Prevista para ser lançada até o meio deste ano no Velho Continente, a nova L200 deve chegar ao Brasil no início de 2016, mas sem aposentar a atual geração. Ambas devem conviver em posições diferentes do mercado, assim como o atual modelo (de quarta geração, o primeiro a ser chamado de “Triton”) fazia com a L200 mais antiga, a primeira a ser fabricada no Brasil. A representante brasileira da Mitsubishi ainda não confirma a chegada do novo modelo.

A ideia é a mesma utilizada no projeto do Outlander: importar a picape para testar a aceitação do público, e não produzi-la localmente, numa atitude que poderia ser considerada precipitada pela empresa. As motorizações e opções de transmissão da picape que será oferecida ao mercado brasileiro ainda não foram definidas, mas não devem fugir das configurações atuais (motores V6 3.5 flex e quatro-cilindros 3.2 turbodiesel; câmbio manual ou automático de cinco marchas).

Divulgação

Nova L200 mostrada em Genebra não aposenta quarta e atual geração (à esquerda), que já havia convivido com a anterior (à direita) no Brasil

Em Genebra, a L200 foi mostrada com especificações europeias, que incluem um novo motor 2.4 turbodiesel, de 153 cv e 38,7 kgfm de torque (ou 184 cv e 43,8 kgfm em configurações mais caras), e uma transmissão manual de seis velocidades.

Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Deixe uma resposta