fbpx
Novos protestos nos EUA deixam 2 feridos e 31 detidos

Duas pessoas foram feridas a tiros e 31 detidas na segunda-feira em uma nova noite de violência na cidade de Ferguson, estado de Missouri (centro-oeste dos Estados Unidos), cenário de protestos relacionados com a morte de um jovem negro em uma ação policial.

Centenas de manifestantes voltaram a ocupar a Avenida West Florissant, em Ferguson, epicentro dos protestos, em uma concentração que começou pacífica e terminou com enfrentamentos, detenções, dois feridos de bala e o uso de gás lacrimogêneo e bombas de fumaça para dispersar o protesto.

Os feridos foram atingidos por tiros dos manifestantes, anunciou o chefe de polícia de Fergurson, Ronald Johnson. Ele afirmou que os agentes não abriram fogo. Quatro policiais foram feridos por objetos lançados pelos participantes no protesto. De acordo com Johnson, alguns manifestantes, 200 no total, viajaram de Nova York e da Califórnia.

O deslocamento da Guarda Nacional não conseguiu apaziguar a tensão em uma das noites com maiores distúrbios desde o começo dos protestos raciais há pouco mais mais de uma semana após a morte do jovem negro desarmado Michael Brown por um policial.

A tensão cresceu a partir das 22h (local de segunda, 1h de terça em Brasília), quando a polícia começou a avisar os manifestantes que deviam sair da rua se não quisessem ser detidos, depois de várias pessoas lançarem coquetéis molotov, garrafas e outros objetos contra os agentes.

Quase duas horas depois, logo antes da meia-noite em Ferguson, os agentes começaram a avançar contra os manifestantes, com material antidistúrbios e alertando através dos alto-falantes que a área deixou de ser segura, que as pessoas deveriam voltar para suas casas e os jornalistas deviam sair da área dos protestos.

A maioria dos manifestantes atendeu a ordem, embora um pequeno grupo, de menos de cem pessoas, resistiu.

Fonte: Terra

Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Deixe uma resposta