OAB/SP entrega primeira certidão com nome social a advogada travesti

In Advocacia
OAB/SP entrega primeira certidão com nome social a advogada travesti
Espalhe essa informação

Márcia Rocha agora tem o direito ao tratamento nominal em sua carteira de identidade profissional.

O presidente da OAB/SP, Marcos da Costa, entregou à advogada travesti Márcia Rocha nesta segunda-feira, 9, a primeira certidão da seccional paulista com o registro do nome social.

Com a certidão em mãos, a advogada agradeceu: “Morrem pessoas todos os dias por conta unicamente do preconceito. Portanto, a possibilidade de fazer com que as pessoas pensem sobre esse assunto e nos vejam enquanto seres humanos, capazes de trabalhar e de exercer uma profissão com seriedade, como é a advocacia, eu acho extremamente importante.”

Para Marcos da Costa, a entrega do documento é uma importante conquista de direitos humanos num período marcado por retrocessos.

“Num momento em que o mundo parece apresentar passos para trás na trajetória da civilização, com direitos civis sendo contestados, direitos humanos vilipendiados e discursos de ódio proclamados nas redes sociais, esse espaço traz uma nova luz. Respeita aquele que talvez seja o principal direito, que por incrível que pareça não é direito explícito na Constituição, mas está lá, que é o direito à felicidade. Que todos tenham a possibilidade de exercer esse direito de ser feliz. É isso que se faz hoje com a Márcia Rocha.”

A presidente da Comissão da Diversidade Sexual da OAB/SP, Adriana Galvão, que desde o início acompanhou a luta pela possibilidade de tratamento nominal de travestis e transexuais em suas respectivas carteiras de identidade profissional, comemorou a iniciativa.

“Este ato mostra que a Ordem é uma entidade inclusiva, que respeita os direitos humanos e os diferentes. Assim que o pedido foi formalizado pela advogada Márcia Rocha, ele foi acolhido com o total apoio pela Secional e levado ao Conselho Federal. Permitir que a advogada possa se apresentar aos tribunais com a sua identidade de gênero preservada é uma demonstração clara de um processo de transparência, respeito e preocupação com a dignidade do ser humano. Fica o exemplo de respeito às diferenças.”

Deixe sua opinião via Facebook abaixo!

You may also read!

Parentes dizem que soldados que se afogaram em lago não sabiam nadar

Parentes dizem que soldados que se afogaram em lago não sabiam nadar

Espalhe essa informação Recrutas faziam um treinamento de localização na mata em grupos de quatro pessoas. Parentes dos soldados

Read More...
Goleiro Bruno se entrega à polícia antes de receber voz de prisão

Goleiro Bruno se entrega à polícia antes de receber voz de prisão

Espalhe essa informação Como a delegacia ainda não havia sido informada da decisão do STF, o jogador do Boa

Read More...
Pai leva interno foragido de volta para Fundação Casa de Ferraz, em SP

Pai leva interno foragido de volta para Fundação Casa de Ferraz, em SP

Espalhe essa informação De acordo com a fundação, 17 internos fugiram no último domingo (23); dois voltaram para a

Read More...

Deixe uma resposta

Mobile Sliding Menu