Obras do Espaço Alternativo apresentam erros grotescos no projeto

Erro

É um ledo engano achar que os problemas que redundaram na paralisação das obras do espaço alternativo – local de lazer e esportes na capital – são apenas de ordem burocrática. Negativo, além das suspeitas de sobrepreços, há erros grotescos de projeto de engenharia. Um exemplo foi a tubulação e a falta de estudos das bacias hidrográficas situadas no local. Ademais, os elevados programados estão fora das especificações técnicas. É lamentável a paralisação das obras com estruturas em processo de deterioração, mas liberar sem a correção do projeto seria um erro irremediável.

Pesadelo

O governador Confúcio Moura costuma utilizar o blog como forma de descarregar as lamentações pela incapacidade dos auxiliares em programar com mais rapidez as ações governamentais prometidas em campanha. Neste final de semana, por exemplo, reconheceu que a área da saúde está aquém do ideal e escreveu que quer ver Porto Velho com saneamento e esgoto. A população da capital sonha com a obra há oito anos. Embora todos compartilhem do mesmo sonho, a realidade é bem diversa. Dizem que a demora em licitar a obra pode provocar a devolução dos recursos aos cofres federais. Um sonho que pode virar pesadelo.

Falastrão

Um novo auxiliar nomeado pelo prefeito Mauro Nazif para a Fundação Cultural estreou na pasta cutucando a mídia pelos fatos envolvendo o antecessor em relação aos shows que estão sob investigação. Ao invés de anunciar uma tomada de contas, quis acertar as contas com os supostos adversários do prefeito. Profissional desconhecido do mundo cultural e político tende a retornar ao anonimato o mais breve possível.

Cano

Apesar dos desmentidos da prefeitura da capital em relação à compra dos tubos adquiridos para drenagem, um empresário da construção civil revelou à coluna que a versão da prefeitura está incompleta e que muita gente pode entrar pelo cano quando os fatos emergirem. Aliás, estão faltando tubos nas obras.

Paraguaios

PT, PCdoB e PSOL – partidos que outrora eram denominados de esquerda – estão tendo baixas consideráveis em seus quadros. Os petistas de Cacoal pediram desfiliação em massa da legenda depois que os mandatários decidiram poupar o prefeito Padre Franco e expulsaram apenas os assessores envolvidos nas denúncias de supostos malfeitos na administração municipal. Os comunas também tiveram baixas desde que o partido virou uma legenda de aluguel com parte dos dirigentes agarrados em cargos comissionados do Governo Estadual. O PSOL ficou reduzido a um pequeno grupo de professores da Unir desde que o Pastor Aluísio pediu desfiliação.

Exame

Embora haja uma tentativa do presidente da Câmara Federal, Eduardo Cunha (PMDB), em atingir a Ordem dos Advogados do Brasil e extinguir a exigência do Exame de Ordem, uma pesquisa realizada pelo Datafolha apurou que 89% da população é favorável ao Exame para habilitação profissional como advogado. Não é a primeira vez que tentam nivelar por baixo o exercício profissional na tentativa de acabar com o Exame de Ordem.

Luto

Lamentei profundamente a passagem para o andar de cima do colega jornalista Antônio Alves, no Rio de Janeiro. Era um profissional da melhor qualidade e um contador de “causos” da boemia inigualável. Desfrutei nas noites afora de alguns bons momentos da companhia do colega nos botecos da vida. O condomínio de cima recebe mais um inquilino que deixa saudade nesse andar térreo.

Rede

Com a língua presa nas pronúncias e solta no verbo o senador Romário foi surpreendido com a denúncia de possuir contas na Suíça (nada a ver com recursos desviados do petróleo) sem declarar o imposto nem informar à Justiça Eleitoral. Quando assumiu o primeiro mandato parlamentar na Câmara Federal era um peixe fora d’água no exercício do mandato. No Senado Federal corre o risco de cair na rede da malha fina da Receita Federal. Romário virou alvo fácil desde que assumiu a presidência da CPI para investigar os supostos malfeitos da CBF e suas conexões. Como diz o adágio: peixe morre pela boca.

Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Participe do debate. Deixe seu comentário