Painel Político
A maior agência de notícias em seu Whatsapp do Brasil

Ouro Preto do Oeste registra três mortes e 23 casos positivos de leptospirose

0

A Secretaria Municipal de Saúde (Semsau), através da Coordenação de Epidemiologia confirmou mais duas mortes com diagnostico de leptospirose no município de Ouro Preto do Oeste. A saúde pública já identificou 23 casos da doença no município.

As pessoas acometidas da doença que faleceram residiam no bairro Liberdade e no bairro Jardim Novo Estado.

A sorologia foi confirmada pelo Laboratório Central de Saúde Pública de Rondônia (LACEN), de material colhido na autopsia para a emissão da certidão de óbito.

Uma das vítimas de leptospirose foi um senhor de mais de 60 anos que sofria de diabetes e tinha pressão alta.

De acordo com Roberto Gibin, enfermeiro coordenador da divisão de Epidemiologia da Rede Básica de Saúde, como não havia chegado à sorologia enviada para o LACEN, na certidão de óbito do paciente foi declarado como complicação cardíaca e diabete descompensada.

No dia 24 de abril foi registrado o primeiro óbito na cidade, do adolescente Bruno de Lima Araújo, de 16 anos. O garoto passou mal e chegou a ser cogitado dengue, mas a sorologia constatou que se tratava de leptospirose.

O departamento de Epidemiologia tinha registro de uma média de quatro a cinco casos por ano. Agora, estão aparecendo pacientes contaminados praticamente toda semana.

Sintomas

Os sintomas da leptospirose são semelhantes a doenças como a gripe, febre amarela, dengue, malária, hantavirose e hepatites. A pessoa começa a sofrer febre, dor de cabeça, dores pelo corpo, e a dor na panturrilha (batata da perna) é a mais característica.

No caso mais graves, igual ocorreu com o adolescente Bruno, ocorre o aparecimento de icterícia por insuficiência hepática, e as manifestações hemorrágicas – equimoses, sangramentos no nariz, gengivas e pulmões.

A doença se manifesta de 7 a 14 dias após o contato com a urina do rato contaminada.

Prevenção

A receita para combater a leptospirose é a mesma de combate a dengue: a limpeza. O rato odeia a limpeza.

A doença é transmitida pela urina do rato. Um quintal sujo com lixo é o prato predileto dos roedores, e a prática de jogar lixo nos quintais e nas ruas contribui para a proliferação dos roedores.

Pessoas que residem em áreas alagadas devem redobrar os cuidados. Se o roedor tiver acesso a alimentados mal protegidos o perigo aumenta.

Portanto, não jogue lixo nas ruas ou em terrenos baldios; guarde os alimentos bem protegidos, feche bem as sacolas de lixo e conserve jardins e quintais livres de entulhos e mato.

 

Fonte: Assessoria

Comentários
Carregando