fbpx
Outros dois países barram carne brasileira por caso de vaca louca, diz Marfrig

Irã e Argélia impuseram restrições à carne bovina de Mato Grosso por conta de um caso atípico da doença conhecida como vaca louca registrado em um frigorífico no Estado, disse nesta segunda-feira (12) o diretor-presidente da empresa de alimentos Marfrig, Sérgio Rial.

Na semana passada, o Peru e o Egito já haviam imposto embargo temporário, de 180 dias, à carne procedente do Brasil.

“As restrições impostas até o momento foram muito coerentes, porque foram restritas ao Mato Grosso”, disse Rial, em conferência para comentar os resultados da companhia no último trimestre.

O laboratório de referência da Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) confirmou que o caso de Encefalopatia Espongiforme Bovina (EEB), conhecido como mal da vaca louca, encontrado em Mato Grosso é “atípico”, informou o Ministério da Agricultura.

O ministério disse que um teste realizado no laboratório de Weybridge, do Reino Unido, ratifica resultado das investigações epidemiológicas realizadas no Brasil indicando que se trata de um caso espontâneo, que não tem qualquer correlação com a ingestão de alimento contaminado.

Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Deixe uma resposta