Padeiros franceses tiram férias e Paris fica sem baguete

Com mudança na lei,  padeiros passaram a tirar quanto tempo de folga quiserem. Cerca de 75% das padarias estão fechadas no verão europeu, estima blogueiro

A tentativa do governo francês de reformar o mercado de trabalho do país e estimular o crescimento gerou algumas consequências inesperadas: está mais difícil de conseguir comprar uma baguete em Paris. De acordo com reportagem do Financial Times, pela primeira vez em meio século, os padeiros não têm mais as férias de verão regulamentadas pela Prefeitura de Paris e podem tirar quanto tempo de folga quiserem em julho e agosto.

Anteriormente, os padeiros eram informados pela prefeitura sobre as semanas em que poderiam folgar, sistema que assegurava que cada área tivesse pelo menos uma padaria artesanal aberta no verão.

“Os parisienses estão em uma situação grotesca”, disse Rémi Héluin, funfador do Painrisien, blog sobre padarias parisienses. “Muitos dos padeiros decidiram fechar ao mesmo tempo. Houve uma total falta de coordenação.” Ele estima que cerca de 75% das padarias estejam fechadas neste verão.
A mudança nas regras é parte de uma ampla agenda do governo para liberalizar uma série de mercados.

Com informações da Veja

Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Participe do debate. Deixe seu comentário