Padilha se cala ao ser questionado pela Polícia Federal

A Polícia Federal perguntou ao ministro Eliseu Padilha (Casa Civil) se foi Michel Temer quem pediu R$ 10 milhões para Odebrecht, em 2014, em um jantar no Palácio do Jaburu.

O episódio, relatado em delação por executivos da empreiteira, está sendo investigado desde abril, quando o STF (Supremo Tribunal Federal) autorizou dezenas de inquéritos sobre políticos.

À PF, porém, Padilha se calou. Os delegados elaboraram 14 perguntas ao ministro.

Temer não é investigado pelo Supremo neste caso, já que a PGR (Procuradoria-Geral da República) entende que há “imunidade temporária” para o presidente em atos estranhos ao exercício de suas funções.

Segundo os delatores, o jantar aconteceu em maio de 2014 e o dinheiro foi solicitado para campanhas do PMDB. Padilha é apontado como o intermediário.

Há uma divergência, porém, na versão dos executivos da empreiteira sobre a presença de Temer no momento do acerto. Marcelo Odebrecht afirmou aos procuradores que o presidente se levantou da mesa na hora em que o valor foi firmado.

Já Claudio Melo Filho, ex-diretor de Relações Institucionais da empreiteira, disse que Temer acompanhou a negociação.

Ambos concordam, entretanto, que o presidente tinha conhecimento.

Fonte: folha de S. Paulo

 

Painel Político, é um blog de notícias de Rondônia, com informações sobre política regional, nacional, economia, jurídico e variedades. Siga-nos nas redes sociais, visite-nos diariamente e fique sempre bem informado.

Participe do debate. Deixe seu comentário