Padrasto diz que matou militar da Base Aérea em “legítima defesa”

O crime aconteceu na Rua Ezequiel Borges, Conjunto Habitar Brasil no Bairro São Sebastião I, Zona Norte da Capital

O auxiliar técnico Lucinei Ramos de Lima apresentou-se na manhã desta quinta-feira na Delegacia de Homicídios de Porto Velho e assumiu ter matado na segunda-feira o enteado Matheus Melo de Souza, de 19 anos, um militar da Base Aérea de Porto Velho. O crime aconteceu na Rua Ezequiel Borges, Conjunto Habitar Brasil no Bairro São Sebastião I, Zona Norte da Capital.

Lucinei estava acompanhado de advogado e garantiu que reagiu a agressões do militar. Segundo a versão de Lucinei, ele chegou em casa pela manhã e viu a porta arrombada. Ouviu um barulho no banheiro e seguiu para ver o que era. Teve uma pequena discussão com a vítima e foi para o quarto. Momentos depois, garante ele, que o militar chegou armado no quarto e os dois brigaram. Ele teria tomado a faca de Matheus e o golpeado. Em seguida fugiu.

A vítima foi encontrada despida e ensangüentada em cima de uma cama por vizinhos, que logo acionaram a PM após verem o suspeito saindo rápido da casa.

As informações são do Rondoniagora

Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Participe do debate. Deixe seu comentário