fbpx
Pais de menina de 12 anos e boliviano de 21 são presos em SP por corrupção de menores

O delegado de Mococa (SP) José Guilherme Torrens de Camargo pediu a quebra de sigilo telefônico de celulares apreendidos com o estudante boliviano suspeito de estuprar uma menina de 12 anos. O aparelho da criança também foi recolhido e todos passarão por perícia.

O rapaz de 21 anos e os pais dela, que deram abrigo ao estudante, tiveram a prisão preventiva decretada pela Justiça após a audiência de custódia, na terça-feira (21). Os dois homens foram levados para o presídio de Casa Branca e a mãe da menina está na cadeia de Mococa.

A polícia espera esclarecer detalhes do crime a partir das informações colhidas nos quatro aparelhos. Segundo a polícia, o estudante e a menina se conheceram pela internet e trocavam mensagens com os celulares há cerca de um ano e meio.

Viagem para Mococa

Em 12 de novembro, o rapaz viajou 2 mil quilômetros de ônibus de Santa Cruz de La Sierra para Mococa para se encontrar com a menina e foi acolhido pelos pais da garota, que foram acusados de corrupção de menores.
“Os pais disseram que o acolheram, mas de forma totalmente imprudente na minha opinião. Como se permite que um homem de 21 anos fique com uma menina de 12? Impossível”, afirmou o delegado à EPTV, afiliada da TV Globo, no dia da prisão.

Denúncia

A polícia chegou ao caso após receber uma denúncia anônima. O boliviano foi encontrado com a menina na casa dela. Segundo o delegado, o jovem afirmou em depoimento ter mantido relações sexuais com a garota e ter também filmado.

A menina foi acompanhada pelo Conselho Tutelar e está na casa Abrigo do município. Ela tem quatro irmãos mais novos que estão sob a tutela de parentes.

G1/SP

Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Deixe uma resposta