fbpx
Papai Noel é rondoniense – Professor Nazareno*

Sempre achei que o bom velhinho fosse um santo. Agora tive a certeza: ele não só é um santo como pode ser também um dos filhos de Deus. Pensava que ele era da Finlândia ou da Lapônia, mas me enganei: ele é de Rondônia mesmo. No mundo capitalista ocidental, o “Santa Claus” é mais conhecido do que o próprio Jesus Cristo. Impecável no seu longo traje vermelho e com sua barba branca, está presente em vários recantos e é amado por todos que o veem. Traz alegria, felicidade e bonança para os que nele acreditam. Em Porto Velho ele esbanja empatia e muito entusiasmo, apesar da lama, da catinga e da podridão da cidade. As criancinhas o amam sem limites. Da zona leste à zona sul desta capital aquela criatura divina é aplaudida e venerada por todos. Até os “rondonienses de coração” não seguram as lágrimas quando estão diante dele.

O Natal geralmente celebra o nascimento de Cristo, mas todos querem mesmo é ter contato com o velhinho sorridente de barbas brancas. Deve ser por que Jesus Cristo, que raramente ri e tem a barba preta, não dá presentes para ninguém. Mas como um bom rondoniense, Noel presenteia os desconhecidos com tudo o que pode. Deu ao povo de Porto Velho, por exemplo, um lindo Espaço Alternativo para todos fazerem alegremente suas caminhadas. Deu também vários viadutos, só que todos íngremes e escuros feito breu apesar de esta localidade ser a “cidade das hidrelétricas”. Parece que economizaram nas lâmpadas para iluminar melhor o resto da cidade, que é muito escura também. O Pai Natal não tem filhos. Dizem que é por que o saco dele é de brinquedo. Deve ser por isso que ela adora divertir os filhos dos outros. Noel “ama” as crianças!

Quando o Papai Noel adoece, se trata no Hospital João Paulo Segundo mesmo. O maior “campo de extermínio de pobres” da região Norte é a cara do velhinho do saco grande. E suas patologias não vão muito além de virose, diarreia ou curuba, doenças típicas dos rondonienses mais pobres. Econômico, o bom velhinho anda sempre de busão e até juram que outro dia ele foi assaltado dentro de um dos sujos e imundos ônibus que fazem a linha para o campus. Aliás, fala-se que seu maior sonho é cursar Medicina numa universidade que nem hospital universitário tenha. Porém o Noel está ultimamente meio chateado: alguns políticos de Rondônia andam lhe fazendo muita concorrência. De fato, como presentear o povo se vereadores e deputados já o fazem? Se o velhinho fosse candidato aqui se elegeria para qualquer cargo a que concorresse.

O nosso Papai Noel é realmente um amor de pessoa. Como um porco imundo, sempre viveu, mora e chafurda na lama e de nada reclama. Ama de coração sua feia e suja cidade. Nunca falou mal da poeira, da fumaça sufocante ou das alagações. É roubado e enganado sempre pelos políticos e nunca blasfemou contra seus algozes. Se tivesse filhos colocaria todos para estudar em escola pública, claro. Ele já pensou inclusive em consertar o porto do Cai n’Água e até em duplicar a BR 364, mas desistiu. Fala que vai construir uma nova rodoviária em Porto Velho e finalmente vai internacionalizar o aeroporto da cidade. Dizem que Noel dará de presente aos porto-velhenses uma rede completa de esgotos e de água tratada, raridades por aqui. Mas o melhor presente mesmo será para os funcionários públicos: a partir de agora, basta trabalhar seis meses que terão direito às férias e até viajar para o exterior. Viva o Noel!

*É Professor em Porto Velho.

Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Deixe uma resposta