Para desembargador, Roberto Sobrinho não reverte inelegibilidade no TRE

Relator do processo que condenou o ex-prefeito afirma que ele está enquadrado na “ficha limpa”

A Procuradoria Eleitoral já pediu a impugnação da candidatura, ele foi mais uma vez denunciado pelo Ministério Público Estadual na semana passada por supostos desvios na EMDUR e mesmo assim o ex-prefeito de Porto Velho Roberto Eduardo Sobrinho insiste em ser candidato nas eleições desse ano.

Para o promotor eleitoral Héverton Aguiar, “alguns políticos pensam que são superiores à ordem jurídica. Se o Roberto Sobrinho for eleito, ele vai ter de ficar entrando com ações judiciais para se manter no cargo por todo o mandato, além de enfrentar as inúmeras ações em andamento”, declarou.

Aguiar era Procurador Geral de Justiça em Rondônia, e foi responsável pelo afastamento do então prefeito em dezembro de 2012 e sua prisão, em fevereiro de 2013.

Para o desembargador Gilberto Barbosa, do Tribunal de Justiça de Rondônia, relator dos processos do ex-prefeito, “O Roberto Sobrinho foi julgado por um órgão colegiado em ação de improbidade em que restou reconhecido que ele agiu com dolo, causou prejuízo ao erário e teve enriquecimento ilícito. Ou seja, ele está enquadrado da Lei Ficha Limpa e, portanto, inelegível. A lei é clara. Acho pouco provável que ele possa reverter a situação”, afirmou.

Em redes sociais, muita gente se mostra indignada com a possibilidade do ex-prefeito estar na disputa desse ano. Muitos acreditavam que ele não poderia (nem deveria) ter essa chance.

Em entrevistas que tem concedido, Roberto afirma que “quer dar continuidade as ações que iniciaram em sua gestão” e não poupa ataques ao atual prefeito Mauro Nazif, também candidato à reeleição.

Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Participe do debate. Deixe seu comentário