Parecer da PGR rejeita recurso de Temer contra Joesley
MPF 

Na ação, presidente pedia que o empresário fosse condenado pelos crimes de calúnia, difamação e injúria

A Procuradoria Regional da República em Brasília emitiu um parecer pela rejeição do recurso do presidente Michel Temer contra a decisão da primeira instância da Justiça Federal de rejeitar queixa-crime apresentada por ele contra o empresário Joesley Batista. As informações foram divulgadas pela coluna Expresso, de Época.

Na ação, Temer pedia que o empresário fosse condenado pelos crimes de calúnia, difamação e injúria. A ação foi movida após entrevista do empresário a revista, em junho, em que Joesley diz que Temer é “o chefe da quadrilha mais perigosa do Brasil”.

Na decisão em primeira instância, assinada no dia 5 de setembro, o juiz federal Marcos Vinícius Reis Bastos, da 12ª Vara Federal, entendeu que não há motivos para rever sua decisão. Assim, o caso será julgado pela segunda instância da Justiça Federal.

Ao analisar o processo, o magistrado entendeu que o empresário não cometeu os crimes ao citar o presidente na entrevista. No entendimento do magistrado, Joesley relatou os fatos no contexto de seus depoimentos de delação premiada.

Segundo a defesa de Temer, a entrevista foi “desrespeitosa e leviana”, além de ofensiva. Para os advogados, as declarações de Joesley levam a sociedade a questionar a honradez de Temer.

“Na verdade, todos sabem o real objetivo do querelado [Joesley] em mentir e acusar o querelante [Temer], atual presidente da República: obter perdão dos inúmeros crimes que cometeu, por meio de um generoso acordo de delação premiada que o mantenha livre de qualquer acusação, vivendo fora do país com um substancial (e suspeito) patrimônio”, diz trecho da petição inicial do processo.

Painel Político, principal fonte de informações políticas de Rondônia. Com noticiário completo sobre economia, variedades e cultura.

Deixe uma resposta