Parlamento da Venezuela é invadido e deputados ficam feridos

Um grupo de apoiadores do presidente da Venezuela, Nicolas Maduro, entrou nesta quarta-feira (5) na sede do Parlamento, que é controlado pela oposição. Deputados e jornalistas ficaram feridos na ação, de acordo com a Reuters.

Os deputados realizavam uma sessão especial por conta do dia da independência quando dezenas de pessoas, algumas encapuzadas e armadas com pedaços de madeira, invadiram o Palácio Legislativo pelos jardins, detonando fogos de artifício. Houve pânico no local, de acordo com a agência France Presse.

A cerimônia, que não estava prevista na agenda do Legislativo, foi liderada pelo vice-presidente Tareck El Aissami, que chegou acompanhado do ministro da Defesa e chefe da Força Armada, Vladimir Padrino López, assim como de membros do gabinete e de partidários chavistas.

Manifestante pró Maduro com bandeira da Venezuela enfrenta pessoas na sede Assembleia Nacional, controlada pela oposição, em Caracas (Foto: REUTERS/Andres Martinez Casares)

El Aissami fez um discurso de cerca de 15 minutos, no qual acusou a oposição de “sequestrar” o Poder Legislativo. Os adversários de Maduro dominam a Casa, com folga, desde sua esmagadora vitória nas urnas em dezembro de 2015.

“Estamos precisamente nas instalações de um poder do Estado que foi sequestrado pela mesma oligarquia que traiu Bolívar e sua causa”, disse o vice-presidente, deflagrando aplausos dos convidados.

Deputados da oposição Luis Stefanelli e Leonardo Regnault reagem após enfrentamento com manifestantes pró-Maduro na Assembleia Nacional nesta quarta-feira (5) (Foto: REUTERS/Carlos Garcia Rawlins)

Feridos

O deputado Américo de Grazzia foi retirado ferido da Assembleia Nacional, segundo a NTN24. O parlamentar Armando Armas também ficou ferido no incidente. “Por mais que nos agridam, não vamos abandonar essa luta”, afirmou Armas em sua conta no Twitter.

Deputado Armando Armas após entrada de defensores de Maduro na Venezuela (Foto: Reprodução/ Twitter Armando Armas)

A crise política venezuelana se encontra em uma fase de alta tensão por protestos da oposição que deixaram 91 mortos em três meses e pela convocação de uma Assembleia Constituinte, por parte do presidente Nicolás Maduro.

Crise na Venezuela

A crise política venezuelana se encontra em uma fase de alta tensão por protestos da oposição que deixaram 91 mortos em três meses e pela convocação de uma Assembleia Constituinte, por parte do presidente Nicolás Maduro.

Grupo entrou na Assembleia Nacional, onde deputados realizavam sessão pelo Dia da Independência (Foto: Juan Barreto / AFP)

O vice El Aissami advertiu que Maduro não se renderá, nem cederá em seu propósito de levar a Constituinte adiante, segundo a France Presse.

“Aqui está um presidente digno que nunca se renderá, nem permitirá que a Venezuela seja colônia de qualquer potência estrangeira”, declarou.

Fonte: g1.com

Painel Político, é um blog de notícias de Rondônia, com informações sobre política regional, nacional, economia, jurídico e variedades. Siga-nos nas redes sociais, visite-nos diariamente e fique sempre bem informado.

Deixe uma resposta