PCC de Roraima ‘exigiu’ saída de rivais

In Brasil
PCC de Roraima ‘exigiu’ saída de rivais

Investigadores de combate ao crime organizado acompanham o crescimento do PCC em Roraima há pelo menos cinco anos

Documentos e conversas interceptadas pela Polícia Federal e pelo Ministério Público revelaram a facilidade que o Primeiro Comando da Capital (PCC) tinha para conseguir celulares e ordenar crimes de dentro de presídios em Roraima já em 2014, quando a Operação Weak Link avançou sobre a ramificação da facção no Estado. Além disso, exigiam a saída de rivais da cadeia – o que teria motivado a fuga de pelo menos 145 detentos. Investigadores de combate ao crime organizado acompanham o crescimento do PCC em Roraima há pelo menos cinco anos.

Entre os alvos da operação à época, 75 atuavam de dentro dos presídios e apenas dezessete tiveram de ser detidos fora do sistema. A operação também detectou a expulsão de integrantes de outras facções da Penitenciária Agrícola Monte Cristo, promovida pelo PCC. Maior penitenciária do Estado, a Monte Cristo foi palco da morte de 33 presos na sexta-feira. O massacre é atribuído ao PCC e visto como um desdobramento da disputa entre a facção paulista e o Comando Vermelho que resultou na morte de 56 detentos do Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj) em Manaus.

Em Roraima, as duas principais lideranças do PCC são Ozélio de Oliveira, o Sumô, e Diego Mendes de Andrade, o Taylor. Sumô é apontado como o mentor do grupo e comanda o crime no Estado de dentro da Casa de Custódia de Piraquara, no Paraná. Por sua vez, Taylor cuida do aliciamento de novos integrantes e da divulgação da doutrina, enquanto cumpre pena na Penitenciária Federal de Mato Grosso do Sul.

No dia 2 de maio de 2014, as duas lideranças do PCC participaram de um conferência com outros traficantes interceptada pela PF. Na conversa, Sumô faz uma explanação sobre a situação do sistema prisional em Roraima e conta o início da facção e um episódio de quando o PCC começou a “pregar” a sua “ideologia”. Naquele momento, diz Sumô, os detentos de outras facções tiveram o “direito” de pular o muro da Monte Cristo. Segundo o criminoso, em 40 dias foram 145 fugas.

Deixe sua opinião via Facebook abaixo!

You may also read!

Produção de alimentos e até de celulares pode reduzir reservas de água

Produção de alimentos e até de celulares pode reduzir reservas de água

Espalhe essa informação Criação de apenas um smartphone consome cerca de 12,7 mil litros de água, o equivalente a

Read More...
Sem Lula, PT cogita Gleisi Hoffmann para presidir o partido

Sem Lula, PT cogita Gleisi Hoffmann para presidir o partido

Espalhe essa informação A corrente está dividida entre os grupos que apoiam o ex-ministro da Saúde Alexandre Padilha ou

Read More...
Fantasiado de ‘Coringa’, homem é preso nos Estados Unidos

Fantasiado de ‘Coringa’, homem é preso nos Estados Unidos

Espalhe essa informação Lei do estado de Virgnia proíbe ocultação da identidade por meio de máscara, capa ou outros

Read More...

Deixe uma resposta

Mobile Sliding Menu