PDT se posiciona contra impeachment e Acir volta a defender permanência de Dilma

No fim de semana, o secretário municipal Solano Ferreira (PDT), indicado por Gurgacz ao cargo declarou que o senador era favorável ao impeachment; ele apagou a postagem

No último fim de semana o secretário municipal de Ação Social, Solano Ferreira, funcionário do senador Acir Gurgacz no grupo SGC de comunicação, divulgou em seu perfil no Facebook que Acir apoiava o impeachment da presidente Dilma Roussef (PT). O anúncio foi feito durante evento do partido realizado na Câmara de Vereadores de Porto Velho, no sábado, dois dias após a casa de Gurgacz, em Ji-Paraná ter sido alvo de um ‘buzinaço’ por parte da população, indignada pelo fato do senador ter comparecido, e aplaudido, a posse do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no cargo de Chefe da Casa Civil do governo.

Porém, na sexta-feira, o presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, anunciou que o partido, por unanimidade, vai se posicionar contra o impeachment da presidente Dilma Rousseff. A votação do partido para fechar a questão foi realizada no início da reunião do diretório nacional do partido, em Brasília.

A presidente Dilma deve participar da reunião do partido nesta sexta. Enquanto aguardavam a chegada da petista, os representantes do partido também fecharam questão para defender a saída de Eduardo Cunha (PMDB-RJ) da presidência da Câmara.

O primeiro item do encontro foi decidir pelo posicionamento do partido em defender ou não o mandato de Dilma. Antes da votação, Carlos Lupi se pronunciou defendendo a presidente.

“Não há nenhum fato legal. Não há prova. Não há nenhum fato que coloque ela em cheque a qualquer investigação. Ninguém pode terceirizar o crime”, disse o pedetista.

Lupi afirmou que os membros do partido que eventualmente não seguirem o entendimento do diretório estarão sujeitos a “medidas previstas no estatuto” do partido.

O PDT é um dos principais partidos da base aliada. Apesar disso, alguns deputados chegaram a votar contra os interesses do governo em projetos na Câmara no ano passado. Apesar disso, a presidente Dilma decidiu nomear o então líder do partido na Casa, André Figueiredo, para o Ministério das Comunicações.

Ciro Gomes

Na reunião, Lupi também anunciou o ex-ministro Ciro Gomes como pré-candidato do PDT à presidência da República nas eleições de 2018. Ciro foi recebido aos gritos de “Brasil para frente, Ciro presidente”.

Em coletiva na ultima quinta-feira (21), Lupi já havia anunciado que o partido estava preparando o “ambiente” para ter o ex-ministro como candidato à Presidência da República.

Em discurso, o agora pré-candidato afirmou que não se filiou ao partido visando as eleições. Durante o pronunciamento, fez diversas críticas à política econômica do país. Segundo o ex-ministro, o Brasil passa por “constrangimentos” com sua política de juros e abertura de crédito no exterior.

“A questão econômica hoje, tem que ser revista em uma dimensão absolutamente orgânica”, disse Ciro.

Ciro já passou por outros seis partidos – PDS, PMDB, PSDB, PPS, PSB e Pros – e afirmou que se sente seguro no PDT. “Já chega de errar o meu passo partidário. Eu não quero mais ter que dar satisfação de ter que sair do partido, por que o partido que eu entrei e ajudei a construir se corrompeu, apodreceu, se vendeu”, disse nesta sexta.

Já Solano Ferreira, após a desastrada postagem, não se sabe se ele continuará no cargo de secretário nem se manterá o emprego no sistema Gurgacz de Comunicação. Na postagem apagada, o afoito jornalista escreveu, “Encontro do PDT em Porto Velho mostra partido unido para as eleições 2016 e 2018. Agora está com três deputados estaduais e quatro vereadores na Capital. Senador Acir anunciou rompimento com o governo Dilma e apoio a PF e Judiciário“. Depois ele apagou e disse, “No Encontro do PDT de Porto Velho, onde contamos com um partido forte e unido para enfrentar esse momento de crise política e participar das eleições 2016 e 2018, fiz o anúncio da saída do partido da base do governo Dilma. O agravamento da crise política está prejudicado muito nossa economia é divide ainda mais o país. Por conta disso, o PDT vai se dedicar a um novo projeto para o Brasil. Em Porto Velho, o PDT agora está com três deputados estaduais e quatro vereadores. Novos nomes estão ingressando no partido em todo o Estado“. Ele só não explicou que projeto novo seria esse. Deve ser o ‘novo velho Ciro Gomes’.

 

News Reporter
Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

1 pensou em "PDT se posiciona contra impeachment e Acir volta a defender permanência de Dilma"

Deixe uma resposta