fbpx

Um levantamento do Ministério do Desenvolvimento Social (MDS) revela que 85% dos auxílios-doença analisados no Distrito Federal do final de 2016 até o dia 14 de julho deste ano foram cancelados. O pente-fino avaliou 2.725 perícias feitas no DF e, desse total, 2.303 benefícios foram revogados. Com isso, a pasta estima uma economia de R$ 38,7 milhões por ano.

Os dados, enviados ao G1 nesta quinta-feira (27), mostram que o ministério ainda vai analisar mais 2.016 benefícios só em Brasília. O pente-fino focou naqueles beneficiários que há mais de dois anos não passavam por revisão no Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), o que é obrigatório.

Segundo o MDS, a ausência de convocados levou ao cancelamento de 118 benefícios. Além disso, 244 foram convertidos em aposentadoria por invalidez, 12 em auxílio-acidente, 16 em aposentadoria por invalidez com acréscimo de 25% no valor do benefício e 150 pessoas foram encaminhadas para reabilitação profissional.

Em todo país foram realizadas 200 mil perícias. Desse total, o governo decidiu cancelar 180 mil auxílios-doença e espera economizar R$ 2,6 bilhões por ano.

Em 2016, o INSS informou que foram identificadas falhas em oito de cada 10 auxílios-doença revisados. Em alguns casos, havia pessoas recebendo há anos e trabalhando em dois lugares.

A revisão começou no ano passado com a Medida Provisória 739, que deveria ter se tornado lei em 120 dias, o que não ocorreu. Com isso, em janeiro deste ano, foi editada uma nova medida provisória que também trata da revisão do auxílio-doença, além da aposentadoria por invalidez paga aos que têm menos de 60 anos.

Fonte: g1/df

Painel Político, é um blog de notícias de Rondônia, com informações sobre política regional, nacional, economia, jurídico e variedades. Siga-nos nas redes sociais, visite-nos diariamente e fique sempre bem informado.

Deixe uma resposta