Pesquisa aponta os cinco passos para evitar a demência

Seguir quatro de cinco passos para uma vida mais saudável pode reduzir em até 36% o risco de desenvolver demência ao longo da vida. É o que aponta uma análise realizada pela organização Age UK que sugeriu que o estilo de vida é responsável por 76% do declínio cognitivo — alterações nas habilidades do cérebro ao longo dos anos, incluindo perda de memório e velocidade do pensamento.

A análise constitui uma revisão dos mais recentes estudos sobre demências em todo o mundo e elencou os cinco fatores que podem contribuir para o envelhecimento mental mais saudável: praticar exercícios físicos regularmente, adotar a dieta mediterrânea, não fumar, beber álcool com moderação e prevenir ou tratar doenças como diabetes, hipertensão e obesidade.
O estudo, realizado ao longo de 30 anos, descobriu que homens com idade entre 45 e 59 que seguiram quatro desses cinco fatores tiveram um risco 36% menor de desenvolver declínio cognitivo e um risco 36% menor de desenvolver demência.

A pesquisa também revelou que o exercício físico — aeróbico, de resistência ou de equilíbrio — era a maneira mais eficaz para afastar o declínio cognitivo em idosos saudáveis e reduzir o risco de desenvolver Alzheimer. Estudos sugerem que o exercício de três a cinco vezes por semana durante entre 30 minutos a uma hora é benéfico.
Manter uma dieta saudável, ingerir álcool moderadamente e não fumar também desempenham um papel importante para garantir o envelhecimento saudável do cérebro, bem como reduzir o risco de desenvolver demência, de acordo com a análise.

Beber demasiadamente também foi relacionado à demência, e que resulta em perda de tecido cerebral principalmente nas partes do cérebro responsáveis pela memória e o processamento de informações visuais. Níveis moderados de álcool, no entanto, podem contribuir para proteger o cérebro, aumentando o colesterol bom e diminuindo o mau colesterol.

— Enquanto ainda não há cura ou forma de reverter a demência, essas evidências mostram que existem maneiras simples e eficazes de reduzir o nosso risco de desenvolvê-la. Além do mais, as mudanças que precisamos fazer para manter nosso cérebro saudável já se mostraram boas para também o coração e a saúde em geral. Por isso é recomendado para todos nós tentar construí-las em nossas vidas. Quanto mais cedo começar, melhor a nossa chance de ter uma vida saudável mais tarde — disse Caroline Abrahams, diretora da organização Age UK.

A Age UK está financiando um projeto da Universidade de Edimburgo chamado Mente Desconectada, que investiga como as habilidades de pensamento se alteram com a idade e o que influencia essas mudanças.

Fonte: zh

Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Participe do debate. Deixe seu comentário