PF desarticula esquema de contrabando em aeroporto do RJ

Criminosos contratavam “mulas” para entrar com produtos no Brasil sem que fossem pegos por membros da Receita Federal

A PF (Polícia Federal) deflagrou na manhã desta quinta-feira (8) a operação Vista Grossa para desarticular um grupo criminoso responsável por colocar em prática um meticuloso esquema de contrabando e descaminho no Aeroporto Internacional Tom Jobim (Galeão).

A PF cumpre cinco mandados de prisão temporária e sete de busca e apreensão nos bairros de Copacabana, São Conrado, Barra da Tijuca e Recreio dos Bandeirantes; em Cabo Frio no Rio de Janeiro e no município de Bragança Paulista, em São Paulo.

As investigações começaram há um ano e apontam que membros da quadrilha em funções de comando contratavam “mulas” para o transporte de mercadorias importadas e repassavam os dados dessas pessoas a servidores da Receita Federal.

O objetivo era que os servidores fizessem vista grossa e facilitassem o ingresso do material em solo brasileiro sem o devido pagamento dos tributos incidentes.

Os aparelhos celulares eram o principal produto trazidos ao Brasil pela quadrilha. Informações de inteligência indicam que para cada mala de viagem que passava pelo canal de inspeção aduaneira sem fiscalização era cobrado o valor de 1.000 dólares. Já para mochilas era estabelecida a quantia de 400 dólares por cada unidade. Os presos serão indiciados por organização criminosa, facilitação de contrabando e descaminho, corrupção ativa e contrabando/descaminho praticado via transporte aéreo.

Fonte: R7

Painel Político, é um blog de notícias de Rondônia, com informações sobre política regional, nacional, economia, jurídico e variedades. Siga-nos nas redes sociais, visite-nos diariamente e fique sempre bem informado.

Participe do debate. Deixe seu comentário