PF faz buscas em empresa responsável por gerenciar carreira de Wesley Safadão

AudioMix é uma empresa goiana de produção, planejamento, marketing e gestão

A empresa AudioMix, em Goiânia, foi alvo da Operação Maus Caminhos, da Polícia Federal, deflagrada na manhã desta terça-feira (20). A ação tem por objetivo desarticular uma organização criminosa especializada no desvio de recursos públicos do Fundo Estadual de Saúde do Amazonas. A operação atinge os Estados do Amazonas, São Paulo, Goiás, Minas Gerais Horizonte e Distrito Federal.

A casa do dono da AudioMix, Marcos Araújo, também foi vasculhada pelos policiais. Segundo o jornal O Povo, a empresa era utilizada pelo principal alvo da Maus Caminhos, o empresário Mohamad Mustafa, para lavar dinheiro oriundo dos desvios milionários da Saúde do Amazonas.

A AudioMix é uma empresa goiana de produção, planejamento, marketing e gestão. É responsável pelas carreiras de artistas, como Wesley Safadão, Jorge e Mateus, Guilherme e Santiago, Israel Novaes, entre outros.

Entidade social

De acordo com a Polícia Federal, a organização criminosa investigada utilizava uma entidade social sem fins lucrativos para fugir dos procedimentos licitatórios regulares e permitir a contratação direta de empresas prestadoras de serviços de saúde.

A referida entidade seria o Instituto Novos Caminhos (INC), que recebeu, em 2014, a qualificação do Governo do Estado do Amazonas para administração das unidades de saúde UPA Campos Sales, em Manaus, Centro de Reabilitação em Dependência Química – CRDQ, em Rio Preto da Eva e a UPA 24 Horas e Maternidade Enfermeira Celina Villacrez Ruiz, em Tabatinga.

Vida de ostentação

Nos últimos dois anos, cerca de R$ 220 milhões em recursos públicos destinados à saúde do Amazonas foram repassados à instituição (aproximadamente 25% do total de recursos do Fundo Estadual de Saúde do Amazonas no mesmo período). No entanto, em auditoria inicial realizada pela Controladoria Geral da União – CGU, surgiram indícios de que a entidade contratava algumas empresas para desviar significativa parcelas desses recursos.

O dinheiro desviado da saúde proporcionava aos alvos investigados uma vida de ostentação, que possibilitava a aquisição de bens móveis e imóveis de alto padrão, como mansões, veículos importados de luxo e até mesmo um avião a jato e um helicóptero, que serão apreendidos e/ou sequestrados ao longo do dia.

Os investigados responderão pela prática dos crimes de organização criminosa, falsidade ideológica, peculato, fraude licitatória e lavagem de capitais.

Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Deixe uma resposta