Painel Político
A maior agência de notícias em seu Whatsapp do Brasil

PIB cresce 0,2% no segundo trimestre

0

O Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro cresce 0,2% no segundo trimestre em relação ao primeiro trimestre deste ano, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).  Ainda segundo o instituto, o PIB do segundo trimestre do ano totalizou R$ 1,639 trilhão.

O resultado veio dentro do intervalo das estimativas dos analistas consultados pelo Projeções Broadcast, que esperavam desde um recuo de 0,50% a crescimento de 0,30%, que resultou em mediana de 0%. Na comparação com o segundo trimestre de 2016, o PIB também avançou 0,3% no segundo trimestre deste ano. O resultado ficou no teto das estimavas dos analistas, que previam desde uma queda de 0,80% a alta de 0,30%, com mediana também de estabilidade (0%).

Com alta de 1,4% na comparação entre o primeiro e o segundo trimestre de 2017, o consumo das famílias voltou a registrar crescimento após nove trimestres. No trimestre passado, o indicador havia mostrado estabilidade (0,0%), e, neste segundo trimestre, registrou o primeiro crescimento em nove trimestres.

“O comércio, pelo lado da oferta, e o consumo das famílias, pelo lado da demanda, foram as principais influências para a variação positiva de 0,2% do PIB”, destaca Rebeca Palis, coordenadora de Contas Nacionais do IBGE.

O crescimento nas despesas de consumo das famílias foi influenciado pela evolução de alguns indicadores macroeconômicos ao longo do trimestre, como a desaceleração da inflação, a redução da taxa básica de juros e o crescimento, em termos reais, da massa salarial.

Relembre:  O PIB cresceu 1,0% no primeiro trimestre deste ano em relação ao quarto trimestre de 2016 e interrompeu um ciclo de oito quedas trimestrais consecutivas. O resultado foi comemorado pelo ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, e pelo presidente da República, Michel Temer (PMDB). Logo após o resultado, Meirelles afirmou que o País “saiu da maior recessão do século”. No Twitter, o presidente disse que a alta foi resultado das medidas que estão sendo tomadas.

Fonte: O Estado de S. Paulo

Comentários
Carregando