Pilotos andaram por 2 dias até Guajará; avião foi vendido para traficantes
O piloto Evandro Rodrigues de Abreu e o co-piloto Rodrigo Frais Agnelli, que foram encontrados após 40 dias do sequestro e roubo do avião da família Riva em Pontes e Lacerda, precisaram caminhar por dois dias em uma mata até chegarem a cidade de Guajará-Mirim, na fronteira de Rondônia com a Bolívia. A informação foi confirmada pela esposa do piloto Evandro, Márcia Abreu, que falou por telefone com o marido nesta madrugada.

Aliviada com o aparecimento do marido e do companheiro de serviço, Márcia revelou que os seqüestradores não fizeram nenhum tipo de pressão a família durante os 40 dias de seqüestro. “A única vez que entraram em contato foi 2 ou 3 dias após o seqüestro. Ligaram para meu cunhado e disseram que eles seriam liberados e estariam bem”, disse em entrevista a Rádio CBN (AM 590).

Evandro e Rodrigo entraram em contato com a família e com o deputado estadual José Riva (PSD), proprietário do avião, na madrugada desta quinta-feira. De acordo com o parlamentar, os pilotos já estavam na Polícia Militar e falavam de seus próprios aparelhos celulares.

De acordo com o deputado, a informação passada pelos pilotos é de que o avião foi comercializado e que foram liberados após um desentendimento entre os sequestradores. “O Evandro contou que eles estavam sendo usados para pilotar o avião na Bolívia para o tráfico de drogas, que tem muita pista de tráfico na região, a cada 5 km. Como houve o desentendimento entre os sequestradores, soltaram na divisa de Rondônia e foram embora”.

O roubo da aeronave aconteceu no dia 20 de setembro no aeroporto de Pontes e Lacerda (480 km de Cuiabá), quando os pilotos trabalhavam na campanha da então candidata ao governo Jantete Riva (PSD). O caso está sendo investigado pela polícia boliviana e era acompanhado pelas polícias civil e federal brasileira. A família Riva providenciou um avião para ir buscar as duas vítima que devem chegar a Cuiabá por volta das 13h.

Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Participe do debate. Deixe seu comentário