PM abre processo para investigar policiais filmados ostentando armas e dançando funk

A Polícia Militar (PM) instaurou um inquérito administrativo para apurar a conduta de três supostos soldados da corporação que aparecem em um vídeo dançando funk sem camisa, com copos de bebidas nas mãos, e ostentando armas.

As imagens teriam sido feitas em uma festa ocorrida na cidade de Itacambira, na região Norte do Estado.

O vídeo se espalhou entre moradores do município desde segunda-feira (26) e traz o trio dançando em cima da carroceria de uma caminhonete ao som da música “Julieta”, do MC Lan, que traz uma letra que fala basicamente sobre sexo. Todos eles portavam pistolas em uma das mãos e copos na outra. Assista:

Segundo informações, os policiais são lotados no 13º Batalhão, que atende a região Norte da capital, outro na 1ª Companhia Independente, que fica em Nova Lima, e o terceiro estaria prestes a se apresentar justamente na companhia de Itacambira.

Procurada, a 11ª Região da PM, que responde pelo policiamento em Itacambira,  a corporação informou por meio de uma nota que o fato mostrado no vídeo não é uma conduta típica de policial militar. “Estamos procedendo a levantamentos com vistas a averiguação do ocorrido, bem como da identidade dos atores que figuram na mídia, buscando-se confirmar se eles são, verdadeiramente, milicianos”, disse o texto divulgado.

Ainda segundo a PM, o procedimento irá apurar se as armas são reais ou réplicas e se o local do evento era público ou privado e as implicações advindas de tal conduta, caso se confirme o envolvimento de integrantes da corporação.

“A PM, reafirmando o seu compromisso com a sociedade a qual serve e protege, categoricamente afirma que não admite este tipo de comportamento por parte dos seus militares e, caso seja comprovado o envolvimento de quaisquer destes, o fato será devidamente apurado e as responsabilizações serão feitas, de igual maneira”, concluiu.

Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Deixe uma resposta