Painel Político
A maior agência de notícias em seu Whatsapp do Brasil

PM de RO atira na cabeça de adolescente durante briga por pipa (atualizada)

0
O fato aconteceu no último final de semana no Bairro Tancredo Neves, setor Leste de Porto Velho, onde o policial militar, identificado apenas como Alexandre, componente de uma guarnição do 5º BPM, atirou contra a cabeça de um adolescente de 16 anos, usando uma escopeta calibre 12, com cartucho não letal.
Informações de familiares da vítima e testemunhas registradas no 8º DP da área relatam que a guarnição da Polícia Militar foi até o local apaziguar uma confusão iniciada por conta de pipa, envolvendo o irmão da vítima, menor, e o irmão de um policial militar de 29 anos.

Segundo os moradores a guarnição que atendeu a ocorrência agiu com extrema violência, agredindo várias pessoas com socos e pontapés. Em meio à confusão a mãe da vítima foi agredida com um soco no rosto e logo socorrida pelo adolescente, que na sequência foi alvejado. 

 

O menor caiu e ficou agonizando. Revoltados os populares tentavam tirar fotos de Alexandre para denunciar o caso, porém em um dessas tentativas, o policia atirou outra vez usando a mesma arma, mostrando grande despreparo, onde apenas virou a arma para o lado e acionou o gatilho sem prestar atenção se tinha pessoas próximas.

O menor foi socorrido pelos familiares e conduzido até a Unidade de Pronto Atendimmento (UPA) da região e consequentemente transferido para o Hospital Joao Paulo II.

Devido à bala usada no armamento ser não letal, o menor sobreviveu e ainda se encontra internado.

A família pede que o caso seja analisado pela Justiça e Alexandre pague pelo tamanho erro cometido.

No final da tarde desta terça-feira, a Associação de Familiares de Praças da Polícia Militar emitiu nota defendendo a ação do policial. Veja a íntegra:

A ASSFAPOM (Associação dos Praças e Familiares da Polícia e Bombeiro Militar do Estado de Rondônia), vem a público esclarecer os fatos relacionados  ao Policial Militar  envolvido na Ocorrência Policial nº 5068/2014.

Segundo os fatos relatados no histórico da ocorrência policial, a guarnição foi acionada via CIOP para verificar a denuncia de que um adolescente havia invadido uma área particular para buscar uma pipa.

O proprietário do terreno incomodado com a invasão de sua propriedade pediu que o adolescente se retirasse do local, o rapaz foi embora e minutos depois retornou com um grupo de amigos e partiram para a agressão contra o dono da propriedade e seus familiares.

Entre os “armamentos” utilizados para agressão estavam pedaços madeira, pedras e quatro cachorros das raças Rottweiler e pitbull.

A guarnição chegou ao local e foi informada pelos vizinhos da vitima que um dos elementos integrantes do grupo de agressores havia desferido uma pedrada contra o proprietário da residência.

Os policiais identificaram o acusado e deram voz de prisão para ele. No caminho até a viatura, familiares e amigos do acusado investiram contra a guarnição no intuito de tomar o preso, porém, os policiais da guarnição que possuem treinamento tático para ações de confronto revidaram os ataques com spray de gás lacrimogênio.

Após o spray o grupo se dispersou e logo em seguida começaram a atirar pedras na direção dos policiais, para conter as agressões e resguardar a integridade física dos PM’s foi necessária a utilização de armamento menos que letal.

No momento em que houve o disparo para dissipar os agressores, um dos componentes do grupo que investia contra a guarnição abaixou para pegar uma pedra e acabou sendo atingido por uma bala de borracha.

De imediato foi solicitado a apoio médico para o jovem atingido e apoio de demais guarnições para conter o ímpeto dos agressores.

A ASSFAPOM esclarece a sociedade em geral que é contrária a qualquer ato de ilegalidade cometido por quem quer que seja, seja civil ou militar, porém, nesse caso em especifico, o policial envolvido na ocorrência apenas seguiu o procedimento padrão ao qual se prontificou e foi treinado.

Deixamos nossa solidariedade e apoio aos colegas de farda que diariamente colocam sua vida em risco em defesa da paz e segurança do cidadão de bem do estado de Rondônia.

Com informações do Rondoniaovivo

Comentários
Carregando