fbpx
PM é assassinado com tiro no peito, no portão de casa, em Rondônia

A Polícia Militar se mobilizou durante toda a noite, na tentativa de localizar o assassino

O Policial Militar Marceley Cabral Ferreira, mais conhecido como PM Cabral, lotado no 8º Batalhão da PM em Jaru, foi assassinado na noite desta quinta feira (02) em frente a sua residência na Rua Olavo Pires no Jardim dos Estados.

Cabral que atualmente exercia serviços internos no 8º Batalhão, estava de folga e foi atingido por um disparo de arma de fogo, que transfixou seu tórax lateralmente.

O PM cai próximo ao portão de sua residência vindo a óbito antes mesmo do socorro ser acionado.

Testemunhas relataram que apenas ouviram dois disparos e gritos, porém não souberam informar se o assassino evadiu-se de veiculo ou em qual direção.

A Polícia Militar se mobilizou durante toda a noite, na tentativa de localizar o assassino, porém sem êxito. A policia já tem um suspeito.

Cabral era separado e deixou duas filhas. Atualmente ele residia com o irmão.

Cidade é conhecida por grupos de extermínio

Ano passado a Polícia Federal realizou uma operação em Jaru e prendeu policiais militares, jornalistas e empresários da cidade envolvidos em grupos de extermínio, que atuavam em toda a região.

O grupo criminoso era composto por policiais, agentes penitenciários, um jornalista e outros cidadãos da cidade, que estão envolvidos em diversos crimes como extermínio, agiotagem, corrupção, lavagem de dinheiro, abusos de autoridade, ameaças, fraude processual, intimidação de testemunhas, porte, posse e comércio ilegal de armas de fogo, segurança particular ilícita e até tráfico de drogas. Um advogado e um policial civil também foram conduzidos para prestar esclarecimentos.

Os policiais, envolvidos com a organização criminosa, começaram a realizar execuções como uma forma de justiça privada, da qual eram vítimas pequenos infratores locais. Os crimes começaram a ocorrer de forma desenfreada e as execuções começaram a ser realizadas pelas mais variadas e gratuitas razões, que iam, desde cobranças de dívidas, até crimes encomendados, como ocorre em regra nas mortes executadas por os grupos de extermínio.

Chamou atenção dos Policiais Federais a grande quantidade de mortes ocorridas na cidade de Jaru, concentradas em um curto período do ano de 2014. Todos os assassinatos seguiam um mesmo ritual e eram realizados por grupo de dois homens em uma moto preta. Até o momento, dez mortes já foram identificadas como sendo de autoria da organização. As vítimas eram testemunhas dos crimes cometidos pelos policiais ou pessoas endividadas, que não tinham condições de saldar seus débitos.

Painel político com informações do Jaru On Line

Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Deixe uma resposta