Painel Político
A maior agência de notícias em seu Whatsapp do Brasil

PM que deveria estar preso é morto à tiros em bar

0

O ex-cabo da Polícia Militar, Miramar Bonifácio da Silva, 49, foi assassinado em um bar no bairro Mutirão, Amazonino Mendes, na Zona Norte da capital, enquanto jogava baralho com alguns amigos, no início da tarde deste domingo (17).

De acordo com a polícia, dois homens armados chegaram em uma motocicleta, cujas características não foram informadas, efetuaram os disparos contra Miramar, que atingiram costa e pescoço da vítima, um dos tiros atingiu teria atingido por engano o pé de uma pessoa que estaria próxima ao local.

Os dois suspeitos fugiram sentido Zona Leste.

O ex-cabo da PM havia sido preso e cumpria pena no regime fechado no Batalhão de Guardas, no Monte das Oliveiras, na Zona Norte.

O Comandante-Geral da PM, coronel Almir David, confirmou que o ex-policial deveria estar na unidade, onde cumpria pena no regime fechado por homicídio, e que foi expulso da corporação há aproximadamente seis meses.

Segundo o Almir David, Miramar chegou a ser visto pela manhã, durante o período de visitas, mas desapareceu no período da tarde. “Ele cumpria pena por homicídio e já ia ser transferido para um presídio comum. A Corregedoria já está no Batalhão para ouvir as pessoas e saber o que aconteceu. Se ficar constatado que houve facilitação, os envolvidos serão presos em flagrante, se não, vamos abrir uma sindicância para saber como ele fugiu”, destacou.

Envolvimento com outros crimes

Em 2011, Miramar foi preso pela Secretaria de Segurança Pública (SSP) durante a “Operação Tentáculo”, que desarticulou uma quadrilha envolvida com tráfico de drogas.

Ele estava cumprindo pena no Batalhão de Guardas da Polícia Militar, no Monte das Oliveiras, na Zona Norte.

Jogando baralho

O tenente da 27ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom), Victor Cassiano, explicou que a vítima estava no bar, jogando baralho, quando os assassinos chegaram e atiraram nele.

De acordo com tenente, ninguém soube explicar as características dos supostos assassinos, que fugiram pela Avenida Camapuã, sentido Zona Leste. “Não podemos afirmar qual seria a motivação para o crime”, disse.

O caso vai ser investigado pela Delegacia de Homicídios e Sequestros (DEHS). Segundo a Polícia Civil, o crime pode ter sido um acerto de contas, já que a vítima tinha envolvimento com o tráfico.

Com informações do jornal A Crítica

Comentários
Carregando