PMDB estuda liberação de votos contra presidente Dilma

O presidente do Senado Renan Calheiros (PMDB-AL) fechou um documento junto com o senador Romero Jucá (RR), com autorização do vice-presidente Michel Temer (PMDB-SP), cujo objetivo é defender a liberação dos membros do partido na votação do impeachment da presidente Dilma Rousseff. As informações são do jornal O Estado de S.Paulo.

O partido irá realizar uma convenção nacional neste sábado (12), na qual o documento será apresentado. Os peemedebistas mais radicais defendem o rompimento imediato do partido com o governo federal, mas a medida de Calheiros e Jucá aparece como uma opção mais leve. Parte da ala oposicionista concorda com o presidente do Senado e o senador de Roraima.

Segundo o jornal, não há consenso sobre a saída alternativa. Parte do PMDB ainda prefere a saída brusca, com a entrega de cargos e ministérios. Os antigovernistas dizem que dez Estados aderiram ao documento chamado de “Carta de Porto Alegre”, que pede corte total do partido com o governo. São eles: Rio Grande do Sul, Paraná, Santa Catarina, Mato Grosso do Sul, Bahia, Pernambuco, Acre, Rondônia, Roraima e Espírito Santo. Juntos, eles contabilizam 241 dos 655 votos.

Não há nenhuma previsão de que o documento seja votado na convenção do partido.

Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Participe do debate. Deixe seu comentário