Painel Político
A maior agência de notícias em seu Whatsapp do Brasil

Polícia Civil ainda está às cegas nas investigações sobre Execuções na capital

0

Após vários meses, a família, amigos e populares cobram explicações da Polícia Civil do Estado de Rondônia uma série de crimes ocorridos em Porto Velho entre os anos de 2015 e 2016. No total são pelo menos cinco homicídios ou execuções, em um período de tempo de um ano e meio, em que os assassinos ainda não foram desvendados.

Nessa lista, o primeiro assassinato ainda não resolvido foi o do assessor parlamentar Hamilton Beleza de Matos, morto a tiros de pistola em um matagal próximo à Avenida Guaporé.

Outra execução que ainda não teve os autores desvendados foi a do empresário João da Rosa no começo de março de 2016. O empresário dono das Óticas Eldorado foi morto dentro de seu veículo por uma dupla, em frente a uma de suas empresas. Os assassinos atacaram João com vários disparos de arma de fogo.

Ainda em março de 2016, mais um crime chocou a sociedade portovelhense e também continua sem punição aos seus autores. O brutal assassinato do professor universitário Elessandro Milan de 33 anos, que foi encontrado esquartejado em sua casa, localizada no bairro Teixeirão na zona Leste da capital.

Em abril do corrente, outro empresário foi assassinato friamente, Everaldo da Silva Farias, proprietário da oficina Injetronic. Ele foi morto na porta de sua empresa quando atacado pelas costas.

E por último, no final de abril de 2016, o assassinato do mecânico Heavy Nei também entrou na lista dos crimes não solucionados.

Procurada, a Polícia Civil não se manifestou sobre as investigações.

Comentários
Carregando