Policial Civil é morto no ES e categoria ameaça paralisação; PM é morto com tiro no rosto

Os bandidos conseguiram fugir e ainda não foram localizados

Um investigador da Polícia Civil de Vitória foi morto a tiros na noite desta terça-feira (7), na BR 259, em Colatina, na Região Noroeste do Estado.

Segundo informações do Sindicato dos Investigadores da Polícia Civil, ele estava a serviço e tentou intervir no roubo de uma motocicleta. Mário Marcelo de Albuquerque, conhecido como Marcelinho, estava em um veículo da Delegacia de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP) com um colega.

Na altura da curva Mário Cassani, próximo ao Distrito de Baunilha, os dois se depararam com bandidos tentando roubar a motocicleta de um eletricista, de 23 anos.

Os policiais tentaram intervir e houve troca de tiros. Márcio Marcelo foi atingido no abdome e socorrido pelo colega para o hospital São Bernardo em Colatina.

O policial civil, no entanto, não resistiu aos ferimentos e morreu. O colega que estava com Mário Marcelo e o eletricista não foram atingidos.

Os bandidos conseguiram fugir e ainda não foram localizados. A moto não foi levada por eles.

De acordo com a esposa do eletricista, o marido voltava pilotando uma moto de Baunilha para casa, em Vista da Serra, Colatina, quando, ao passar por um radar, foi surpreendido por dois homens armados.

“Meu marido disse que dois policiais civis interviram no momento em que ele iria ser assaltado. Houve troca de tiros. Estou muito assustada com tudo isso”, contou.

Paralisação

O presidente do Sindicato dos Policiais Civis (Sindipol), Jorge Emílio Leal, disse que a categoria está consternada com o crime. Segundo Leal, os policiais civis não descartam paralisar as atividades a partir desta quinta-feira (09), quando uma reunião da associação está marcada na Chefatura de Polícia Civil, em Vitória.

“O sentimento é de indignação com a morte do nosso colega. Indignação com o descaso com que o Governo do Estado trata a segurança pública. Quando o Governo não trata a segurança com seriedade, dá no que dá”, desabafa o representante do sindicato.

O presidente da Associação de Investigadores da Polícia Civil do Espírito Santo (Assinpol), Antônio Fialho Garcia Júnior, vai convocar uma reunião, para esta quarta-feira (08) na Chefatura, com membros do sindicato, que também votarão uma proposta de parar o serviço de investigação no Estado.

“Pode vir juiz, pode vir liminar, pode vir promotor. A minha proposta é parar tudo enquanto  não normalizar a segurança no Espírito Santo. Não temos condições mínimas de segurança e nada vai recuperar a vida de um pai de família”, desabafou o presidente.

O investigador Mário Marcelo de Albuquerque, conhecido como Marcelinho, estava em um veículo da Delegacia de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP) com um colega. Na altura da curva Mário Cassani, em Colatina, os dois se depararam com bandidos tentando roubar uma motocicleta. Os policiais tentaram intervir e houve troca de tiros. Márcio Marcelo foi atingido no abdome, não resistiu aos ferimentos e morreu.

Fialho afirmou à reportagem que já tinha alertado a chefia de investigação da Polícia Civil para não permitir que policiais civis façam diligências e investigações enquanto a Polícia Militar não voltar ao trabalho.

“O Marcelinho, que é conhecido por honrar o trabalho da Polícia Civil, morreu fazendo um serviço que não era de responsabilidade nossa. Segurança ostensiva não é de responsabilidade da Polícia Civil”, desabafou Fialho.

Morte de PM

Um soldado da Polícia Militar, de 30 anos, levou um tiro no rosto após reagir a um assalto na noite desta terça-feira (07), em Aracruz, no Norte do Estado.

Segundo a Polícia Militar, a vítima estava uniformizada e passava de carro pelo bairro São Marcos, por volta de 21h30, quando foi abordada por cerca de quatro homens armados. Os criminosos, que saíram de um outro veículo, exigiram o carro do PM.

O soldado reagiu e trocou tiros com os bandidos, sendo atingido no rosto. Os assaltantes fugiram sem levar nada. O policial ficou com a bala alojada no rosto e conseguiu ligar para colegas, que o socorreram. A vítima foi encaminhada para o Hospital Jayme dos Santos Neves, na Serra. Ninguém foi preso.

Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Deixe uma resposta