fbpx
Policial militar mata ex-namorada a tiros e fere homem em Ceilândia, no DF

PM confirmou identidade do militar, mas não comentou motivação do caso. Mulher morreu no local; outra vítima foi hospitalizada

Um policial militar do Distrito Federal é o principal suspeito de matar a ex-namorada, de 25 anos, a tiros na tarde desta sexta-feira (4), em Ceilândia. Segundo a Polícia Militar, um homem também foi baleado, e levado ao hospital em estado grave.

A mulher foi identificada por familiares como Jessyka Lainara. De acordo com a PM, ela foi atingida em casa por cinco disparos, e morreu no local. O óbito foi declarado por uma equipe do Samu.

Ao G1, a PM afirmou que o autor do crime foi o soldado Ronan Menezes Rego. O sargento responsável pela apuração no local não quis comentar a relação entre o militar e a vítima. O caso será investigado pela 24ª DP (Ceilândia).

Segundo a família, Jessyka tinha sido aprovada recentemente em um concurso do Corpo de Bombeiros. O primo, Leonardo Silva, afirmou ao G1 que o crime foi motivado por ciúmes. “Ele não aceitava o término do relacionamento”, diz.

“Vivia ameaçando ela, falava que ia matar e que não ia ficar muito tempo preso porque era PM. Ele falava que ia matar a nossa avó se ela denunciasse as ameaças.”

Até as 16h10, a PM não tinha informações sobre a localização do militar apontado como suspeito. Nesse horário, a mobilização em frente à casa de Jessyka era grande – incluindo equipes do Batalhão de Operações Especiais (Bope) da PM e da Polícia Civil.

De acordo com vizinhos, o militar tinha “comportamento agressivo”, e não costumava conversar com as pessoas da região. O relacionamento teria começado antes de ele entrar para a polícia e, desde então, havia boatos de que ele “perseguia” a namorada.

Acesso fácil
Segundo familiares, o PM tinha acesso fácil à casa onde Jessyka morava. Nesta sexta, ele entrou no imóvel e foi até o quarto da ex-namorada – ignorando a presença da mãe, da avó e dos irmãos da vítima.

A tia de Jessyca, Elaine Maria, de 59 anos, afirma que a sobrinha morreu no banheiro. Segundo ela, não foi o primeiro caso de feminicídio na família.

“A tia da Jessyka morreu do mesmo jeito, morta por tiros do marido. Pelo menos ela deixou um filho no mundo, a Jessyka não teve essa sorte.”

Ainda segundo Elaine, o namoro de Jessyka e Ronan começou quando ela tinha 13 anos. Eles chegaram a ficar noivos em 2012, de acordo com a tia.

Outra vítima
De acordo com a PM, o outro homem atingido pelos disparos estava em uma academia de ginástica na EQNO 2/4 – distante da casa de Jessyka.

Após o crime, chegou a circular a versão de que a vítima, conhecida como “Pedrinho”, seria um novo interesse amoroso da mulher. Segundo a família de Jessyka, ele era apenas o instrutor dela na academia.

O homem foi atingido no peito e na mão, e levou um tiro de raspão na perna. Segundo a PM, ele foi encaminhado ao Hospital Regional de Ceilândia, mas o estado de saúde era desconhecido por volta das 16h20.

Fonte: g1/df

Painel Político, é um blog de notícias de Rondônia, com informações sobre política regional, nacional, economia, jurídico e variedades. Siga-nos nas redes sociais, visite-nos diariamente e fique sempre bem informado.

Deixe uma resposta