CapaPolitica nacional

Câmara dos Deputados tem ressarcido membro da comissão de ética irregularmente

0

Deputado federal Marcos Rogério apresenta notas em seu CPF porque Câmara veta ressarcimento a empresas que tem parlamentar como sócio

Membro da Comissão de Ética da Câmara dos Deputados e relator do processo contra o ex-deputado federal Eduardo Cunha (MDB), o deputado federal Marcos Rogério vem utilizando irregularmente os recursos da Câmara dos Deputados para abastecer uma aeronave de propriedade da empresa CMD Locação Aérea e Turismo LTDA. Marcos Rogério detém ⅓ das ações da empresa, que também tem como sócios um advogado e um empresário.

O parlamentar anteriormente alugava um avião, cujos recibos eram emitidos em nome de Antônio Carlos Crevelaro, que é administrador do aeroporto de Ji-Paraná. Porém, o avião Piper Saratoga II HP PR-BBF está registrado na Agência Nacional de Aviação em nome do empresário Lírio Pedro Rigon, de Ariquemes. Os pagamentos eram feitos pela Câmara dos Deputados.

Porém, Marcos formou sociedade com outras duas pessoas, e juntos compraram o monomotor modelo Bonanza 1992, prefixo PR-HCP, registrado no CNPJ da CMD (243.946.4/00001-91). Ocorre que as notas fiscais emitidas na compra de combustível para a aeronave saem no CPF do parlamentar e isso tem uma explicação técnica para “burlar” o financeiro da Casa e o regimento interno da Câmara, que é a “restrição para uso da cota com despesas relativas a bens ou serviços prestados por empresa ou entidade da qual o proprietário ou detentor de qualquer participação seja o deputado ou parente seu até o terceiro grau;”. (CLIQUE AQUI PARA VER AS RESTRIÇÕES NO SITE DA CÂMARA DOS DEPUTADOS)

De acordo com um levantamento feito pelo site Rondoniaovivo, “todas as compras de Avgas (combustível de aeronave) estão lançadas na cota parlamentar do deputado. Em pesquisa, detectou-se que o Marcos Rogério encostou o avião de sua empresa na ‘bomba’ mais de 30 vezes, gastando cerca de 50 mil reais de recursos públicos.

A reportagem publicada nesta quinta-feira, detalha os gastos a apresenta as notas fiscais emitidas no CPF do parlamentar, que deverá ressarcir os cofres públicos pelo mau uso de verba indenizatória.

Outro lado

O parlamentar, que disputa uma vaga ao Senado, não foi localizado pela reportagem.

Alan Alex
Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Projeto fixa pena para quem deixar de comunicar violência contra pessoas com deficiência

Página anterior

Justiça eleitoral indefere registro de “MC Tikão” por suposta associação com o crime organizado

Próximo artigo

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também vai gostar

Mais em Capa