CapaColuna Painel Político

Coluna – Arapuca eleitoral armada por Gurgacz dispara e começa a sangria

0

Condenado pelo STF e com registro negado pela justiça eleitoral, senador só tem um caminho, o de seguir na candidatura

Fora do ar

O Tribunal Regional Eleitoral deu início ao processo de sangria do senador Acir Gurgacz (PDT) nesta segunda-feira. A Corte julgou o pedido de registro de candidatura ao governo, e indeferiu, por 4 votos a 2 o registro. E em seu voto, o relator foi além, o juiz federal Flávio Fraga e Silva determinou ainda a imediata proibição do candidato seguir com a propaganda eleitoral no rádio e TV. A maioria entendeu que a condenação por parte do Supremo Tribunal Federal (STF) o tornou inelegível. Segundo o relator, os embargos infringentes apresentados pelo senador ao STF não teriam força de mudar a condenação e assim, não haveria como reverter a decisão colegiada.

Segue na campanha

O advogado de Gurgacz, e coordenador jurídico da campanha, Nelson Canedo, afirmou que serão apresentados recursos tanto ao Tribunal Regional Eleitoral quanto ao Tribunal Superior Eleitoral, e que o senador “segue firme na disputa”. Acir não pretende desistir, tampouco indicar um substituto. De acordo com a defesa, o indeferimento do registro no TRE “era aguardado”. O que se sabe, sem nenhuma sombra de dúvidas, é que Gurgacz ficou ainda mais enfraquecido com a decisão da Corte local, e por mais que o resultado não tenha sido unânime, o momento político não favorece candidaturas de condenados em instâncias superiores, e dificilmente o TSE modificará o entendimento do TRE.

E se isso ocorrer

O eleitorado deve reagir como sempre fez com casos similares, deixando o postulante falando sozinho. Gurgacz insiste em sua candidatura por uma questão de orgulho, e ainda corre um grande risco de perder o mandato no Senado, a depender da próxima composição da Casa. Só quem escapou da perda de mandato foi Aécio Neves, mas ele faz parte da elite da política brasileira.

O enfraquecimento de Gurgacz

Deve favorecer a candidatura de Maurão de Carvalho (MDB) e pulverizar entre os demais candidatos que rejeitam tanto MDB quanto PSDB. O mais sensato seria Gurgacz dar uma de “Lula” e indicar um “poste” em seu lugar, mas ele reitera que isso “é uma possibilidade que não existe”. A turma que torcia para que o senador caísse em desgraça e com isso deixaria a disputa, pode recolher os flaps, porque ele segue enquanto houver recursos. No fim da coluna, a íntegra de uma nota emitida pelo senador após seu julgamento no TRE.

Dois nomes

Caso Gurgacz mudasse de idéia e desistisse da candidatura ao governo, os nomes cotados para substituí-lo seriam do ex-prefeito de Ji-Paraná Jesualdo Pires ou Daniel Pereira, ambos do PSB. Cotado não quer dizer aceito. Jesualdo está focado em sua campanha ao Senado e faltando menos de 30 dias para a eleição Pereira sabe que não teria tempo suficiente para organizar uma campanha majoritária, mesmo herdando recursos de Acir. O senador construiu uma arapuca eleitoral que só cabe ele.

Não mudou nada

O Ibope fez uma pesquisa presidencial apenas em São Paulo (estado) e os números indicaram que o atentado à faca sofrido por Jair Bolsonaro (PSL) não afetou os números da corrida. Ele segue na liderança, mas oscilou apenas um ponto para cima (de 22% para 23%) dentro da margem de erro. Também dentro da margem de erro, de três pontos percentuais, outros candidatos oscilaram positivamente no estado: Geraldo Alckmin foi de 15% a 18%, Ciro Gomes de 8% a 11% e Fernando Haddad de 5% para 7%. Marina Silva, por sua vez, oscilou negativamente, de 10% para 8%. Essas informações são do Antagonista.

Proposta viável

“O Brasil precisa redesenhar o pacto federativo. Do jeito que as coisas estão hoje, 17 dos 27 estados brasileiros estão quebrados. Tenho uma proposta de reestruturar isso a começar pelo Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro e Minas Gerais, que são os 3 estados em situação mais crítica. Tenho propostas concretas para isso. Chama-se swap do endividamento. Reestruturação do passivo privado previdenciário e indenização do calote que a União fez nos grandes estados”. A proposta é do presidenciável Ciro Gomes, e é quem melhor vem explicando o que vai fazer para tirar o Brasil do buraco em nos meteram nos últimos anos.

Sua rede social não é parâmetro

Muita gente critica as pesquisas eleitorais baseando-se em comentários e postagens que vê em sua timeline e acredita que aquilo reflete a realidade. Não é assim que funciona. As redes sociais usam algoritmos em sua programação que direciona para seu perfil, assuntos que mais te interessam. Daí o grande volume de informações sobre seu candidato(a), que dá uma impressão de que “o mundo todo pensa como você”. E normalmente quem discorda de sua opinião é bloqueado ou a pessoa te bloqueia. As pesquisas tem falhas sim, mas elas são o que mais se aproxima da realidade, já que ouvem pessoas das mais variadas classes, etnias, faixa etária, etc.

Teste sanguíneo revela ‘relógio biológico’ de pacientes em menos de 2 horas

Uma nova ferramenta médica baseada na análise sanguínea permite revelar o “relógio biológico” dos pacientes com apenas 90 minutos, informou nesta segunda-feira (10) a revista científica “Proceedings of the National Academy of Sciences” (PNAS). O projeto, conhecido como “Time Signature”, utiliza duas amostras de sangue para determinar qual é o tempo biológico de cada paciente, ou seja: se o corpo da pessoa responde ao horário real em que ela está vivendo. As pessoas que não estão em sincronia com o tempo do local onde vivem podem ter dificuldades nos tratamentos de algumas doenças. De acordo a PNAS, a nova ferramenta permitirá que os médicos tenham rápido acesso ao “relógio biológico” dos pacientes para decidir as doses e os momentos do dia nos quais os medicamentos devem ser aplicados para serem mais efetivos. A nova ferramenta foi desenvolvida por pesquisadores da Universidade de Northwestern, em Chicago. Um dos autores do estudo, Phylipps Zee, explica porque a descoberta é tão importante: “Muitos remédios têm o melhor momento para tomar uma dose. Conhecer o relógio do corpo é crítico para conseguir resultados mais efetivos, já que eles podem ser diferentes de pessoa para pessoa”.

NOTA DE GURGACZ – Acir vai recorrer ao TSE para manter candidatura

O senador Acir Gurgacz (PDT-RO), candidato ao governo pela coligação Juntos por um novo tempo para Rondônia (PDT, PSB, PP, PR, PTB, PTB, SD, DC, PT e PTC) vai recorrer ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para manter sua candidatura, impugnada pelo Tribunal Regional Eleitoral de Rondônia (TRE-RO) nesta segunda-feira, 10/09, por 4 votos a 2.

Acir considera que a decisão do TRE-RO não levou em consideração os recursos que ele apresentou no processo que responde no Supremo Tribunal Federal (STF) por desvio de finalidade num empréstimo feito pela empresa Eucatur de Manaus.

“Em primeiro lugar, sou inocente – pois era apenas avalista de um empréstimo que foi quitado e liquidado pela empresa, com parecer de conformidade do banco. É bom lembrar que não havia dinheiro público envolvido. Confio na Justiça e creio que a decisão da primeira turma será revista no pleno do STF. Por outro lado, ao protocolar os recursos – os embargos infringentes e declaratórios, o processo fica em suspenso e estou com meus direitos políticos plenos – incluindo a elegibilidade, portanto, a decisão do TRE-RO deve ser revisada pelo TSE”, explica Acir.

Nesta segunda-feira, 10, Acir cumpriu agenda em Porto Velho, concedendo entrevistas para a Rádio CBN, TV Rondônia/Globo, TV Meridional/Band, SicTV/Record. O candidato manterá sua agenda e nessa terça-feira estará em Rolim de Moura, na Zona da Mata, numa caminhada pelas ruas centrais da cidade e visitas a empresas, associações e cooperativas.

Alan Alex
Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Ibope: Em São Paulo, Bolsonaro mantém mesmo patamar de votos após ataque; Ciro e Alckmin subiram

Página anterior

Assista o debate entre candidatos ao governo na Unir

Próximo artigo

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também vai gostar

Mais em Capa