CapaColuna Painel Político

Coluna – Câmara de Candeias deve cassar vereador que suprimiu documentos públicos

1

Ele tentou liminares na justiça mas foram indeferidos; e ainda, Confúcio, campeão em processar ou adversários, quer “pacto para não processar”

Olha essa

O vereador de Candeias do Jamari Luiz Carlos Martins de Matos (Luizinho Amazonas – PSB) deverá ser cassado na sessão de segunda-feira, 17, por ter ferido o regimento interno da Câmara de Vereadores. Ele tentou uma liminar, mas a justiça negou, e autorizou o prosseguimento da ação. O vereador foi denunciado em 13 de abril deste ano por ter participado, como representante e consultor de uma empresa, em uma licitação da Secretaria de Estado da Educação para contratação de empresa de transporte escolar em Candeias que venceu o processo. Além disso, ele teria representado a mesma empresa em outros municípios. O problema é que a Lei Orgânica de Candeias e o Artigo 54 da Constituição Federal, proíbem o vereador, desde a expedição do diploma, firmar contrato com pessoa jurídica de direito público ou nela exercer função remunerada. A Lei de Licitações também proíbe essas atividades.

A denúncia

Foi protocolada na Câmara no dia 16 de abril, e foi aprovado o recebimento por 6 votos a 2. Foi aberta a instrução processual e o vereador arrolou uma série de testemunhas que diziam que ele não havia representado a empresa. O problema é que documentos mostravam o contrário. E foram documentos, que segundo consta no relatório processual, ele tentou destruir na prefeitura de Rio Crespo, onde o nome dele aparecia como representante da empresa. E apesar dele ter conseguido sumir com duas páginas do processo (169 e 172), o secretário de educação do município tinha cópias digitalizadas e repassou à comissão da Câmara e foi feita uma ocorrência policial.

O vereador

Vendo que a coisa ia complicar ainda mais para seu lado, tentou uma liminar na justiça, pedindo a suspensão da comissão processante, porém, a 1ª Vara indeferiu o pedido e determinou o prosseguimento da investigação e o trâmite normal da comissão. Ele então recorreu e conseguiu uma liminar até que fosse julgado o mérito de um Mandado de Segurança. No período, o Ministério Público do Estado se manifestou pela continuidade dos trabalhos da comissão processante e o Tribunal de Justiça seguiu o mesmo entendimento. Com isso, na segunda-feira, a Câmara deverá seguir com o processo, que culminará com a cassação de Luizinho. Esse é mais um capítulo na conturbada vida política do município, que está instável desde o assassinato de Chico Pernambuco, em março deste ano.

Tem que desenhar

Lula está preso, não pode ser candidato, não pode votar nem ser votado, tampouco fazer campanha eleitoral. Com base nesse entendimento, o Ministério Público Eleitoral ingressou com pedido para proibir a candidata ao senado Fátima Cleide de usar a imagem do ex-presidente em sua propaganda eleitoral. O PT precisa aprender a viver sem Lula, esse aí só sai da cadeia para a aposentadoria.

Falando em processos

Confúcio Moura pediu arrego. Como “estratégia” de campanha, ele resolveu processar todos os adversários, por qualquer coisa. Foram quase duas dezenas de ações movidas pelo ex-governador e ele foi perdendo uma por uma. No mais absoluto contra senso, como lhe é peculiar, foi a seu blog dizer que “a justiça eleitoral está abarrotada de ações” e propôs um pacto com os adversários para “evitar processos tolos”. É sério que alguém quer essa figura como senador?

Tá longe, muito longe

O grupo chama “Mulheres Unidas Contra Bolsonaro” e já tem absurdos 2.204.654 inscritas. Isso mesmo, mais de duas milhões e duzentas mil mulheres estão na comunidade contrária a candidatura do capitão. Claro que os simpatizantes não ficariam quietos e montaram o grupo “Mulheres Unidas a Favor de Bolsonaro”. Soma 397 mil membros. Se as eleições fossem hoje, e apenas mulheres votassem, a coisa ia complicar para o capitão.

Falando nisso

No programa PAINEL POLÍTICO deste semana conversamos sobre os reflexos do atentado contra Jair Bolsonaro e como isso poderá afetar sua campanha. Além é claro, de outros temas. Confira abaixo no bate-papo comigo, Muryllo Ferri e com o cientista político João Paulo.

Dormir mal eleva risco de diabetes, afirmam pesquisadores

É sabido que falta de sono, pouco exercício e má alimentação estão associados ao diabetes tipo 2, mas até recentemente os cientistas não tinham certeza sobre qual desses três fatores provocava a intolerância à glicose ligada à doença. Num estudo com ratos, cientistas da Universidade Toho de Medicina, no Japão, descobriram que uma única noite de insônia já é suficiente para aumentar o risco de diabetes. Isso equivale a um déficit de sono de seis horas. Os ratos que sofriam de falta de sono apresentaram níveis elevados de açúcar no sangue. Além disso, a produção de triglicerídeos no fígado aumentou. Os triglicerídeos são gorduras associadas à resistência insulínica típica do diabetes. A privação de sono também alterou as enzimas hepáticas responsáveis pelo metabolismo do fígado. Os resultados do estudo mostram que a perda de sono é definitivamente um fator de risco para o diabetes tipo 2. Portanto, manter uma boa rotina de sono é importante na prevenção do diabetes em pessoas com maior risco. Também quem come todos os dias grãos integrais, como aveia, trigo ou centeio, reduz o risco de diabetes. Numa extensa pesquisa, cientistas da Universidade Chalmers de Tecnologia, na Suécia, e do Centro de Pesquisas da Sociedade Dinamarquesa do Câncer investigaram hábitos alimentares de mais de 55 mil pessoas sem diabetes. No estudo, os participantes tinham de listar os tipos de grãos integrais que comiam todos os dias. Estes incluíam pão, cereais e farinha de aveia. Após 15 anos, os pesquisadores convidaram essas pessoas para controle. O resultado mostrou que aqueles que comiam grãos integrais diariamente tinham um risco menor de desenvolver diabetes tipo 2.

Alan Alex
Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Ataque e internação de Bolsonaro criam cenário inédito na eleição

Página anterior

Condenado a seis anos de prisão pelo Supremo, Nilton Capixaba renuncia candidatura a reeleição

Próximo artigo

1 comentário

  1. “É sério que alguém quer essa figura como senador?”
    Há anos percebo bons comentários e boas análises na sua coluna, mas essa foi decisiva, fecho contigo. Abs

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também vai gostar

Mais em Capa