0

Indústria da multa

O senador Ivo Cassol (Progressistas), que preside a Comissão de Agricultura e Reforma Agrária do Senado (CRA), bateu firme no Ibama nesta terça-feira durante sessão da CRA nesta terça-feira, 4. Cassol chamou a atenção para o que ele classifica como “um verdadeiro festival de multas ambientais” aplicadas pelo órgão, que terminam inviabilizando a vida dos produtores de todo o país. O senador deixou claro que não defende o desmatamento criminoso, mas o alerta é válido para chamar a atenção do novo governo que assume em janeiro de 2019.

Durante a sessão

Cassol informou que  a Comissão de Agricultura do Senado solicitou ao ministério do Meio Ambiente todos os autos de infração que foram cancelados administrativamente pelo Ibama. “Não podemos continuar fazendo da maneiro como vem sendo feita, temos que trazer transparência a essa questão das multas ambientais”, concluiu. Apontado por ambientalistas como “inimigo do meio ambiente”, Cassol não fez jus a essas acusações. Na Comissão de Agricultura sempre se colocou como crítico de políticas totalmente alheias à realidade de quem vive nos rincões do Brasil. A ocupação da Amazônia só foi bem sucedida graças ao pioneirismo de gente que buscava melhores condições de vida, e esse povo sofreu (e muitos ainda sofrem) muito com a falta de suporte por parte do governo federal e dos estados.

Em Rondônia

O Estado hoje é visto como um dos poucos “cases de sucesso” no Brasil em termos de ocupação. A grande maioria dos municípios, com raríssimas exceções dispõe de condições para seus moradores, como escolas, postos de saúde, segurança e até investimentos em pavimentação e infra-estrutura. Uma realidade totalmente diferente para quem vive em regiões do Amazonas e Pará. A política ambiental da União não enxerga as peculiaridades de cada região, e as multas aplicadas pelo Ibama são impagáveis, e terminam empurrando os produtores para o acúmulo de dívidas, condenações criminais e muitos são tratados como “bandidos”. Cassol conhece bem essa realidade e sua atuação à frente da CRA lhe rendeu uma homenagem pelos serviços prestados em defesa do agronegócio brasileiro,l pela Frente Parlamentar da agricultura. A frente reúne mais de 200 deputados e 23 senadores que se dedicam a defesa dos projetos e do debate de leis relacionadas as atividades rurais no país “Essa homenagem é fruto desse trabalho tão intenso pelo agronegócio, o setor que segurou o Brasil num momento de tanta dificuldade para a economia do nosso país. Fico muito honrado com esse reconhecimento”, enfatizou Cassol. ​

Ressuscitou

Nesta terça-feira o Tribunal Superior Eleitoral devolveu o mandato do prefeito de Rolim de Moura Luizão do Trento (PSDB) que havia sido afastado em julho deste ano acusado pelo suposto uso de recursos de pessoas jurídicas, de forma direta e indireta, na campanha eleitoral de 2016. A defesa de Luizão foi feita pelos advogados da banca Rocha Filho, Nogueira e Vasconcelos, com o apoio da advogada Marilda Silveira, de Brasília, que conseguiram o que ninguém achava que seria possível. No meio político, já davam Luizão como “morto”, mas arrancaram ele da cova. A posse foi nesta terça-feira mesmo.

Tira e põe

Os tribunais precisam chegar a um consenso sobre essa questão de afastamento dos chefes do Executivo. No caso de Rolim a eleição suplementar estava marcada para acontecer no próximo domingo, 9. A cidade estava mobilizada, assim como os candidatos que disputariam o pleito. O recurso de Luizão foi julgado aos 45 do segundo tempo. Na minha modesta opinião, apenas o TSE poderia determinar a cassação de mandatos do executivo para acabar com esse entra e sai.

Pipocando

As redes sociais viraram o grande painel de queixas contra a gestão do prefeito Hildon Chaves (PSDB) e as coisas devem piorar ainda mais, se as previsões feitas pelo jornalista Robson Oliveira, em sua Resenha Política, forem confirmadas a respeito da relação do Consórcio SIM com a prefeitura. De acordo com a coluna, o SIM entrou na justiça para devolver a concessão e pular fora do contrato por estar acumulando prejuízos. E mais, ninguém estaria interessado no contrato. CLICA AQUI para você entender a questão.

Mais Médicos, só que não

Cerca de 200 médicos inscritos no programa Mais Médicos já comunicaram aos municípios que não devem ocupar as vagas, informou nesta terça-feira (4) o Ministério da Saúde.  Com a desistência, a pasta decidiu voltar a ofertar as vagas no sistema a partir das 18h desta quarta-feira (5). As inscrições serão voltadas a médicos brasileiros ou com diploma revalidado. A previsão é que o edital continue aberto até sexta-feira (7), data prevista para o fim da seleção. Segundo a pasta, o principal motivo alegado pelos médicos é a dificuldade em cumprir carga horária exigida pelo programa devido a outras atividades profissionais. Pelas regras do Mais Médicos, profissionais contratados devem trabalhar por 40 horas semanais em uma equipe de Saúde da Família. Outros motivos para a desistência foram ingresso em programas de residência médica, nova proposta de trabalho e problemas pessoais. Quem contou foi a Folha que tem mais informações sobre o caso.

Aplicativo promete detectar anemia apenas com uma foto das unhas

A anemia é o distúrbio de sangue mais comum do mundo – calcula-se que de 25% a 33% da população mundial tenham o problema, que consiste no baixo nível de glóbulos vermelhos no sangue. Para diagnosticá-la, é preciso fazer um hemograma, o que envolve uma operação laboratorial e, por consequência, custos operacionais e de material. Em estudo publicado na revista científica Nature Communications nesta terça-feira, cientistas da Escola de Medicina da Universidade Emory, de Atlanta, nos Estados Unidos, apresentaram os resultados de um aplicativo de celular desenvolvido por eles que promete o fim das agulhas no diagnóstico da anemia. Trata-se de um software que, por meio de uma fotografia das unhas dos dedos, consegue identificar se o usuário está com níveis adequados de hemoglobina no sangue. E os resultados dos testes são animadores quanto à precisão. Se tudo der certo, o app deve estar disponível para download público até o fim do primeiro semestre de 2019, estimam os desenvolvedores. Em breve, o produto deve ter a patente reconhecida – o protótipo já foi protocolado nos órgãos americanos competentes.

Alan Alex
Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

CAE aprova salário e licença-maternidade na adoção de adolescentes

Previous article

TSE aprova com ressalvas contas da campanha de Bolsonaro

Next article

Comments

Participe do debate. Comente!

You may also like

More in Capa