CapaColuna Painel Político

Coluna – Com fim do prazo das prisões temporárias, Justiça Federal solta quase todos os presos da Ciranda

0

E ainda, Teatro Estadual cobra de R$ 7 mil a R$ 29 mil para realização de eventos; e a epidemia de assassinatos de mulheres pelos ex-companheiros

Cirandou

O ex-secretário municipal de Educação de Porto Velho, Marcos Aurélio Marques foi liberado na noite de quarta-feira, 6, pelo juiz federal Liu Pitanga, que não acatou os argumentos da Polícia Federal e indeferiu o pedido de conversão da prisão temporária para preventiva. À época de prisão de Marcos, o advogado Nelson Canedo que acompanhava o caso informou à PAINEL POLÍTICO que não havia solidez na acusação. A prisão temporária encerrou à meia-noite de quarta-feira e ele foi solto algumas horas antes.

Cirandinha

Mas as investigações prosseguem e segundo a Controladoria Geral da União os desvios no transporte escolar em Porto Velho podem chegar a R$ 20 milhões. O advogado José Cristiano Pinheiro, que foi preso na operação da PF, deixou a administração da banca de advogados em que atuava. Nesta quinta-feira foram soltos Erick dos Santos, Rodolfo Sbarzi, Juliano Hey e o ex-secretário adjunto da Semed, Erivaldo de Souza.

Teatro da bagunça

Estamos em junho de 2018 e esse ano e apenas um evento foi realizado no Teatro Estadual, em Porto Velho. O local está sem alvará de funcionamento, porque ano passado o Corpo de Bombeiros havia expedido uma recomendação sobre a falta de hidrantes e outros detalhes. Nada foi resolvido. Várias pessoas andaram procurando o espaço para alugar e não conseguem pela falta de documentação. Apenas o Tribunal de Contas, que realizou o VII Fórum de Direito Constitucional conseguiu utilizar o espaço, porque não precisou de alvará.

E sabe o que mais?

O valor de aluguel do espaço, que é público, chega a ser surreal, a partir de R$ 7 mil, podendo chegar a R$ 29 mil, caso seja utilizada toda a estrutura. E isso vale para tudo, de peças teatrais a colação de grau. Vários eventos que estavam pré-agendados foram cancelados. E não aluga porque não o boleto de pagamento, o DARE, só é emitido após a apresentação do alvará. Pior, ninguém sabe com quem falar para resolver qualquer questão relativa ao Teatro.

Na Seas

A irmã de Confúcio Moura, Cira Moura, sabe-se lá por qual motivo, está comandando a Secretaria de Estado de Ação Social (SEAS) e segue com sua conhecida “gentileza” no trato com os servidores públicos. Ela já responde a uma série de denúncias por assédio moral e pelo jeito vai acumular mais algumas. O pessoal que trabalha por lá anda se perguntando o motivo do governador Daniel Pereira está mantendo a figura no serviço público. Taí, eu também queria saber…

Feminicídio

Parece ter virado uma febre a matança de mulheres no país por seus parceiros e ex-parceiros. Diariamente pelo menos quatro casos são registrados pela imprensa, e nesta quinta-feira não foi diferente. Um dos que mais chamou a atenção aconteceu em Samambaia (DF). Um ex-namorado, inconformado com o término do relacionamento, matou à facadas a ex-parceira e em seguida tentou suicídio. Ocorre que ele havia sido preso no domingo passado, após agredir a mesma vítima, e foi liberado com uma medida protetiva que deveria impedir que ele se aproximasse da ex. Casos como esse são corriqueiros no Brasil.

Com papel no bolso

O agressor, de uma forma geral, não muda seu comportamento. Se a mulher sentir qualquer tipo de ameaça, deve buscar socorro na polícia, e não fique com pena, seja lá qual for a profissão do sujeito, ele deve ser exposto para que, quem sabe, procure ajuda profissional. a recomendação é do promotor responsável pelo combate à violência contra a mulher em Rondônia, Héverton Aguiar. Os agressores que são impedidos pela justiça de se aproximar de suas vítimas, as matam com o papel expedido pelo judiciário no bolso. Doido é doido, fuja desses.

Só para registro

Apenas esse ano, no DF já foram registrados 10 casos de feminicídio. Em 2017 foram 946 casos, de um total de 4.473 assassinatos de mulheres em todo o país. Em Rondônia, em 2017, foram 54 mortes de mulheres registrados no Estado.

Nasa encontra material orgânico em Marte que pode ser evidência de vida no passado

A agência espacial americana (Nasa) publicou nesta quinta-feira (7) na revista “Science” um novo achado: material orgânico preservado entre rochas (argilitos) com cerca de três bilhões de anos em cratera do planeta Marte. Os cientistas acreditam que pode ser uma evidência de vida no passado. Os dados e amostras foram coletados pelo robô Curiosity, em missão do planeta vermelho desde 2012. Novas informações sobre a atmosfera de Marte e suas variações nos níveis de metano foram apresentadas em outro artigo publicado também pela “Science”.Apesar de a origem das moléculas ainda não estar clara, a Nasa destacou que esse tipo de partícula pode ter sido a fonte de alimento de uma hipotética vida microbiana em Marte. A descoberta não confirma a existência de vida no planeta, mas mostra que os organismos podem ter sobrevivido no planeta vermelho graças à presença dessas moléculas. Outros dados recolhidos pelo Curiosity revelaram que há bilhões de anos um lago dentro da cratera Gale – mesmo local onde estavam as rochas com materiais orgânicos encontrados desta vez – continha ingredientes necessários para a vida, como componentes químicos e energia.

Alan Alex
Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Ezequiel Neiva percorre o Estado mas evita anel viário em Ji-Paraná

Previous article

Coluna – Morte de celebridade mostra que precisamos falar sobre suicídio

Next article

Comments

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may also like

More in Capa