0

E ainda, Rosani Donadon perde o mandato, mas quem sai prejudicado é Acir Gurgacz. E mais, Mariana Carvalho silencia sobre gestão Hildon Chaves

Caiu

A prefeita Rosani Donadon teve o mandato cassado pelo Tribunal Superior Eleitoral na manhã desta quinta-feira e o município de Vilhena terá nova eleição, muito provavelmente junto com as eleições gerais que ocorrem em outubro. Por mais que os advogados dela tentem amenizar, não cabe recurso nem ao STF, pois não se trata de matéria constitucional e o tema que rendeu sua cassação já é questão pacificada na Justiça Eleitoral, então ela pode limpar as gavetas porque nas próximas semanas assume o presidente da Câmara Municipal, Adilson de Oliveira.

Porém

Quem também foi prejudicado, e muito com a queda de Rosani foi o senador Acir Gurgacz, que apostava no apoio da prefeitura em seu palanque para governo nas eleições desse ano. Foi uma derrota que ele não esperava e causa um revés nos planos, que já andam bem complicados graças a condenação que o senador sofreu no Supremo Tribunal Federal esse ano.

Não concorre

E Rosani Donadon não poderá disputar as novas eleições, já que ela deu causa a nulidade. O segundo colocado, Eduardo Japonês, pode. O nome mais provável que o clã deve tentar eleger será o de Raquel Donadon, ao menos é o que se desenha.

Quem ganha

Força com a cassação de Rosani Donadon é Luizinho Goebel, já que foi o candidato de seu partido responsável pela queda da prefeita. Além disso, ele foi o responsável pela costura para a eleição do presidente da Câmara.

Vivo, e no jogo

O que mais tenho ouvido falar nos últimos tempos é que “Raupp está acabado”, ou “não se elege nem para síndico”. Essas afirmações estão muito longe da realidade. O senador está no jogo e vai ser um páreo duro. Só para relembrar, Raupp foi eleito ao Senado a primeira vez em 2002, e obteve 210.413 votos. Naquele ano, Fátima Cleide (PT) foi junto com 233.365. Em 2010 Raupp foi reeleito, dessa vez com 481.284 em uma disputa ferrenha com Ivo Cassol que ficou em segundo com 453.812 votos. Fátima Cleide, que disputava a reeleição e tinha o PT ainda forte, ficou em terceiro, com 225.148.

E mais

Raupp detém o controle do MDB em Rondônia, e o partido deve fechar as portas e janelas para o projeto de Confúcio de ser candidato ao senado. O caminho mais provável é uma vaga para a Câmara Federal, e olhe lá. Além do mais, estão sendo feitas algumas costuras que devem favorecer Raupp, a conferir nos próximos movimentos dos partidos. Ainda está muito cedo para amarrar alianças, mas algumas conversas estão bem avançadas.

Quem vai ser nosso Sérgio Moro?

O processo de Confúcio Moura deve voltar para o primeiro grau, em Rondônia. Isso significa que ele estará nas mãos de um juiz de primeiro grau. É só canetar doutor, as provas são robustas e fartas. Nem espere muito, levaram dois anos para prender o Lula, mas o Lula é o Lula, já Confúcio…

Falando nisso

O que falta para que o Ministério Público do Estado dê andamento (conclua) o procedimento investigatório contra o agora ex-Chefe da Casa Civil de Confúcio Moura, Emerson Castro. Passou da hora de resolver esse assunto, e eu sei, que só falta tirar da gaveta.

Empurrando ladeira abaixo

A gestão de Hildon Chaves, que vem sendo duramente criticada por segmentos da população, está empurrando criando uma situação que vem colocando a deputada federal Mariana Carvalho em uma posição desconfortável, e principalmente, de cobrança. Mariana não dá um pio sobre os problemas que afetam a capital. Faz de conta que não é com ela. A deputada foi uma das principais apoiadoras na campanha de Hildon. Seu silêncio pode ser tomado como omissão.

Falta projeto

O deputado federal Luiz Cláudio vem fazendo muito por Porto Velho. Sem demagogia ou populismo. Ele é o principal responsável pela conclusão das obras dos viadutos, junto com Cassol conseguiu liberar recursos para a implantação das pontes telescópicas no aeroporto da capital e o funcionamento da alfândega e vem cobrando insistentemente para que a prefeitura apresente projeto para poder receber R$ 80 milhões de emenda em Brasília, mas está preocupado, “se o prefeito não agir logo, vai terminar perdendo o recurso”. E olha que Luiz Cláudio não é deputado por Porto Velho. Já a deputada pela capital, anda muito preocupada em entregar prêmios e comendas.

Recomendo a leitura

A jornalista Eliane Brum escreveu dois grandes artigos, um sobre a prisão do ex-presidente Lula e outro intitulado “Lula, o inconciliável”. São esclarecedores e jogam uma luz sobre a relação amor e ódio do Brasil com o ex-presidente. Eliane Brum, coitada, certa vez “se atreveu” a publicar um excelente artigo sobre as mazelas de Porto Velho. Ela, que é uma das jornalistas e intelectuais mais importantes do país, foi contestada por… Emerson Castro. Nem vou comentar. Os links são: https://brasil.elpais.com/brasil/2018/04/09/politica/1523288070_346855.html e https://brasil.elpais.com/brasil/2018/04/10/opinion/1523379689_775390.html.

Brasil deve ter 600 mil novos casos de câncer em 2018

Brasil teve registrar cerca de 600 mil novos casos de câncer por ano em 2018 e 2019, divulgou o Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (Inca) na Estimativa 2018 de Incidência de Câncer no Brasil. O câncer de pele não melanoma é o mais frequente no País, e a segunda posição é ocupada pelo câncer de próstata, para homens, e de mama, para mulheres. Considerado menos letal, o câncer de pele não melanoma deve ter cerca de 165 mil novos casos diagnosticados por ano. Se esses casos não forem levados em consideração, as mulheres brasileiras terão como tipos de câncer mais incidentes o de mama (59 mil casos), de intestino (com quase 19 mil) e o de colo de útero (16 mil). Entre os homens, a próstata é a parte do corpo que deve ser mais acometida pela doença, com 68 mil casos, seguida pelo pulmão, com 18 mil, e o intestino, com 17 mil. Nas regiões Nordeste e Norte, o câncer de estômago tem uma incidência maior entre homens, e o câncer de colo de útero ainda está mais presente entre as mulheres. Esses dois tipos de câncer são mais associados a infecções, possuem maior potencial de prevenção e têm maior incidência em países menos desenvolvidos. Os homens devem apresentar mais casos de câncer que as mulheres em 2018, com cerca de 300 mil casos, enquanto elas devem ter 282 mil novos casos. Ao apresentar os dados, o Inca exibiu vídeos de pessoas que se curaram de câncer e reforçou a campanha contra a estigmatização da doença, que tem como slogan “o câncer não pode acabar com a vontade de viver”.

Alan Alex
Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Alckmin sem foro, Aécio quase réu, Azeredo perto da prisão: Justiça mira tucanos

Previous article

Coluna – “Turma do Confúcio” decide abandonar governo de Daniel Pereira

Next article

Comments

Participe do debate. Comente!

You may also like