Relatório da Operação Murídeos revelou que ex-governador usou recursos indevidamente; e ainda, vereadores atropelam legislação em nome do populismo

Onde ficou o bom senso?

Vereadores de Porto Velho, em ato tresloucado e populista, decidiram que podiam legislar sobre questões referentes a transporte público, invadindo a competência do Congresso Nacional. Eles alteraram a lei orgânica do município para permitir que os taxistas da capital fizessem “corridas compartilhadas”, que na prática é o mesmo método adotado pelas vans clandestinas que operam nos grandes centros. Que taxista precisa ganhar a vida, não resta a menor dúvida, mas a manobra foi uma tentativa de compensar as corridas de aplicativos, como Uber. Os taxistas perderam terreno e ao invés de buscar soluções mais competitivas, preferem adotar práticas bizarras.

O grande problema

É que além da própria inconstitucionalidade do projeto, existe a questão social. Corrida de taxi compartilhado não tem gratuidade para estudantes, taxista leva quem quer, e por vezes se recusa (direito deles) a percorrer determinados caminhos. Só que ao permitir que eles façam as tais corridas compartilhadas, a câmara simplesmente inviabiliza o transporte público coletivo que é feito por empresas de ônibus. Tudo bem que o tal Consórcio SIM está longe de ser a empresa dos sonhos, mas é o que temos por enquanto, e bem ou mal atende a população. Nem todo mundo tem dinheiro para pagar taxi compartilhado ou Uber, quem precisa vai mesmo é de busão.

Propaganda enganosa

Confúcio Moura ex-governador, vem tentando se vender como “autor de grandes obras” em Rondônia. Em sua página no Facebook, imagens e hashtags induzem o leitor a acreditar que ele foi uma espécie de “JK da Amazônia”, o que para qualquer pessoa com o mínimo de informação sabe que não passa de balela. Todas as obras concluídas por Confúcio haviam sido iniciadas em governos anteriores. A maior delas, o Centro Político Administrativo foi quase terminado por Ivo Cassol em um período de 3 anos, e apenas para fazer o acabamento Confúcio levou quatro. A única obra, se é que pode se chamar de um canteiro central de “grande obra”, realizada por ele e sua turma foi o Espaço Alternativo em Porto Velho, e mesmo assim mandou quase todo mundo para a cadeia.

Memória seletiva

Em vídeo, postado no FB, ele fala sobre o “espaço alternativo”, sobre a beleza do espaço e como o local é utilizado pelos munícipes. Explica sobre as dificuldades de “criar” o espaço, todos os entraves e embargos, além da dificuldade de diálogo com a Aeronáutica. Contudo esqueceu de falar que aquele canteiro central custou mais de R$ 40 milhões e que  Polícia Federal desarticulou um esquema de desvio de dinheiro público suspeito de abastecer o caixa de campanha do MDB.

Em Ariquemes

Cidade de Confúcio, também é possível ver uma grande obra, viabilizada por Confúcio, que foi a casa da Vilma, sua ex-assessora que ganhou, segundo denúncia do Ministério Público, um terreno público do então prefeito Confúcio, e construiu uma mansão. Já o teatro municipal e o hospital, bem, esses ai seguem inacabados. E nem vamos falar do HEURO, em Porto Velho que rendeu a Operação Murídeos, da Polícia Federal.

E foi na Murídeos

Que a Polícia Federal descobriu que foram utilizados recursos públicos do Estado para custear manifestação popular de apoio ao Governador do Estado de Rondônia, quando a Assembleia Legislativa deliberava, em novembro de 2014, sobre pedido de “impeachment”, decorrente de fatos investigados na Operação Platéias, deflagrada pela Polícia Federal no final de 2014. Os tais “manifestantes” foram pagos com recursos desviados do PIDISE, um empréstimo milionário que vai ser pago pela população. Na época, um professor e contador alegou o envolvimento de Confúcio em atos para corromper funcionários ocupantes de cargos comissionados, além de crimes de responsabilidade. O dinheiro do PIDISE podia ser usado para uma série de coisas, mas na lista não constava “pagar apoiadores do governador”.

Rubens Moreira Mendes faleceu na madrugada desta quarta-feira em Ariquemes
Rubens Moreira Mendes faleceu na madrugada desta quarta-feira em Ariquemes

Registro

Faleceu na madrugada desta quarta-feira o ex-senador Rubens Moreira Mendes, que também já havia sido deputado federal por Rondônia. Bem articulado, de fala mansa e muitos amigos, Moreira vinha lutando contra um câncer e quando deu uma melhorada, decidiu que queria aproveitar o tempo que lhe restava para ficar em casa com a família. E foi assim que partiu, rodeado de seus entes mais queridos. Moreira era um dos poucos políticos que dispensava hipocrisia e populismo. Pecuarista defendia sua classe junto à bancada ruralista. Também ergueu a bandeira contra o estatuto do desarmamento e era crítico da política populista. Advogado militante e homem de visão faz falta no Congresso. Uma grande perda para Rondônia. Deixamos registrada nossas condolências à seus filhos, esposa e netos.

Pressão arterial alta pode estar associada a doenças neurológicas como o Alzheimer

Pessoas mais velhas com pressão arterial alta podem ter mais sinais de doenças neurológicas, especificamente lesões cerebrais, de acordo com um estudo publicado na edição on-line de 11 de julho de 2018 da “Neurology”, a revista médica da Academia Americana de Neurologia. Os pesquisadores também descobriram uma ligação entre pressão arterial alta e mais marcadores da doença de Alzheimer. “A pressão arterial muda com o envelhecimento e a doença, por isso queríamos ver que tipo de impacto ela poderia ter no cérebro”, disse Zoe Arvanitakis, do Centro de Doenças do Alzheimer no Centro Médico da Universidade de Rush, em Chicago. Para o estudo, 1.288 idosos foram acompanhados até a morte, que foi em média oito anos depois. A idade média da morte foi de 89 anos. A pressão arterial foi documentada anualmente para cada participante e autópsias foram realizadas em seus cérebros após a morte. Dois terços dos participantes tinham história de pressão alta e 87% estavam tomando medicação para pressão alta. Um total de 48% dos participantes tinham uma ou mais lesões de infarto cerebral. Pressão arterial saudável é inferior a 12/8. A pressão arterial alta está acima de 14/9. O maior número é chamado de pressão arterial sistólica, a pressão nos vasos sanguíneos quando o coração bate. O menor número é chamado pressão arterial diastólica, a pressão quando o coração está em repouso.

Alan Alex

Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *