CapaColuna Painel Político

Coluna – Disputa ao Senado está acirrada; conheça os pré-candidatos

0

E ainda, CNJ interfere em nomeação no TJRO e o “climão” na OAB de Rondônia

Disputa embolada

A campanha para senado será acirrada agora em 2018. Até o momento temos confirmados como pré-candidatos, Jesualdo Pires, Valdir Raupp, Expedito Júnior, Bosco da Federal, Aluizio Vidal, Fabrício Jurado e possivelmente Marcos Rogério e Confúcio Moura. Este último vai depender de convenção e muita conversa dentro do MDB, já que o grupo de Raupp detém a maioria da executiva e todos tem a clara percepção que Confúcio na disputa no mesmo cargo “mata” Valdir Raupp. A preferência, claro, é de Raupp que vem brigando muito para buscar a reeleição.

Candidatíssimo

Jesualdo Pires é o mais empolgado. O ex-prefeito de Ji-Paraná está confiante em sua candidatura pelo PSB e vem percorrendo municípios falando sobre seu trabalho e a forma como administrou a segunda maior cidade de Rondônia sem dinheiro em caixa, contando com o apoio da bancada federal, de deputados estaduais e do governo. Jesualdo é um nome que agrega e agrada.

Na estrada

Quem também vem cumprindo agenda nos municípios é Expedito Júnior. E ele garante que sua meta é o Senado, “governo só se o cenário mudar ou o nosso grupo entender que é melhor”, porém reafirmou que pretende mesmo manter o foco.

Alternativas

Bosco da Federal é um nome conhecido em Rondônia. É policial federal e já ocupou cadeira na Câmara de Porto Velho, foi adjunto da Sejus e presidente do Ipam. Fabrício Jurado é advogado, militante do NOVO e aposta no fato de ser “outsider” para levar uma das vagas. Aluízio Vidal é psicólogo e pastor e já foi candidato em eleições anteriores. Marcos Rogério, por sua vez, é deputado federal, tem projeç!ão estadual mas está na dúvida sobre encarar uma candidatura majoritária. Insiste que é candidato à reeleição, “mas isso pode mudar, se o partido entender que é melhor eu sair a Senado”.

Celeuma no judiciário

Uma liminar do Conselho Nacional de Justiça suspendeu a posse do juiz José Antônio Robles como desembargador do Tribunal de Justiça de Rondônia, que estava prevista para acontecer no próximo dia 27. A liminar foi concedida a pedido do também juiz José Torres Ferreira, que disputou a vaga com Robles e com o magistrado Francisco Borges Ferreira Neto. Em síntese, o ministro Aloysio Correia da Veiga declarou que o TJRO não cumpriu alguns pré-requisitos que deveriam ter sido observados durante o processo. A íntegra da decisão você pode ler AQUI.

O caso

Mostra que as coisas nem sempre são tão pacíficas quanto se pensa no universo da magistratura.

Errata

Em coluna anterior afirmei que o ex-juiz eleitoral e advogado Juacy dos Santos Loura havia concedido liminar para que a prefeita de Vilhena Rosani Donadon disputasse as eleições em 2016. Não foi. Juacy era juiz, mas a liminar foi concedida pelo Pleno do TRE.

“Caráter político”

O presidente da OAB de Rondônia, Andrey Cavalcante fez circular uma nota em grupos de advogados esclarecendo alguns pontos de sua reforma administrativa. Segundo Andrey, “algumas das pessoas que foram nomeadas por mim, se afastaram do interesse institucional e passaram a tomar decisões isoladas, revestindo de caráter político. Não permiti e nem permitirei que ninguém utilize a Ordem para fazer política. (…) Por esses motivos promovi a reforma administrativa necessária a realinhar os objetivos, manter o diálogo com todos que integram o Sistema, e o fiz com a responsabilidade de quem tomou o compromisso de conduzir a OAB/RO até o dia 31/12/2018.(…). A íntegra da nota no final da coluna.

A causa

É que advogados que faziam parte do grupo de Andrey e ocupavam cargos-chaves na Ordem, passaram a alegar que haviam sido exonerados por estarem sofrendo retaliações políticas. E esses mesmos advogados estariam supostamente utilizando de seus cargos na Ordem para fazer campanha a lideranças adversárias. O que fica dessa história toda é que tem gente se preocupando mais com cargos e futricas que com a Ordem. Advogados passam, mas a Instituição tem que ser maior.

Aumenta número de casos de morte por câncer no país

Em 10% dos municípios brasileiros, o câncer já é a principal causa de morte, aponta pesquisa divulgada na segunda-feira (16) pelo Observatório de Oncologia do movimento Todos Juntos Contra o Câncer, em parceria com o Conselho Federal de Medicina (CFM). O levantamento foi feito através de dados do Ministério da Saúde. O estudo apontou um número maior de casos da doença em regiões mais desenvolvidas do país. O 1º secretário e diretor de Comunicação do CFM, Hermann Alexandre Vivacqua, afirmou que é importante pensar “como discutir o uso desses dados, que são poucos, para aperfeiçoamento de políticas de saúde”.Ele acrescentou que esse perfil epidemiológico se modifica ao longo dos anos. Para Hermann, é preciso analisar se é devido ao aumento da expectativa de vida ou se há uma subnotificação nos outros lugares.

NOTA ANDREY CAVALCANTE

Bom dia! Tenho o dever e o compromisso com toda a Advocacia Rondoniense de entregar os projetos e propostas pelos quais me comprometi no último pleito eleitoral e para isso preciso garantir a interlocução entre todas as Comissões.  

Ocorre que algumas das pessoas que foram nomeadas por mim, se afastaram do interesse institucional e passaram a tomar decisões isoladas, revestindo de caráter político.

Não permiti e nem permitirei que ninguém utilize a Ordem para fazer política.

Tive a cautela de buscar individualmente o realinhamento das diretrizes fixadas para nossa Gestão, oportunizando o diálogo, porém distorceram a situação para alçar um ambiente favorável ao um vitimismo politiqueiro e de ataque a este Presidente e a Ordem dos Advogados do Brasil.  

Por esses motivos promovi a reforma administrativa necessária a realinhar os objetivos, manter o diálogo com todos que integram o Sistema, e o fiz com a responsabilidade de quem tomou o compromisso de conduzir a OAB/RO até o dia 31/12/2018.

Os colegas que assumiram os cargos recentemente se comprometeram, além de dar continuidade aos trabalho já iniciados, a realizarem os novos e importantes projetos que serão garantidos a advocacia até o final do ano e principalmente de não utilizarem a OAB/RO para fins políticos.

É lamentável que além de tentarem utilizar a OAB/RO em favor de projetos pessoais, algumas pessoas tenham promovido uma exposição irresponsável da nossa Instituição perante a sociedade, em um movimento que deixa clara a intensão de alguns em serem maiores que a OAB.

Sigo firme no propósito de elevar cada vez mais nossa Instituição, de forma independente, altruísta e democrática, mantendo o compromisso da nossa Gestão e o respeito que TODOS nós devemos manter com a Ordem dos Advogados do Brasil Seccional Rondônia.

Andrey Cavalcante

Presidente da OAB/RO.

Alan Alex
Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

TRF4 nega outros dois embargos de declaração interpostos pela defesa do ex-presidente Lula

Previous article

Em entrevista, Alckmin propõe que Aécio não dispute eleição neste ano

Next article

Comments

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may also like

More in Capa