CapaColuna Painel Político

Coluna – Mosquini pode ter usado recursos do MDB para fazer campanha para Bolsonaro

0

Deve sair

Nesta terça-feira o diretor-geral da Polícia Civil deverá ser exonerado. Eliseu Muller estaria sendo pressionado por setores da Polícia Militar para entregar o banco de dados do Instituto de Identificação, que é sigiloso e apenas poucos servidores possuem autorização para acesso, em função dos dados privativos. Lá por exemplo, constam dados sobre identidades funcionais e de toda a população. A “falta de vontade de colaborar” teria gerado a demissão. O prazo para a entrega dos dados expira nesta terça-feira e ele não pretende cumprir.

Na verdade

Não existe nenhum motivo plausível (ou convincente) para entregar à PM os dados do Instituto. Polícia Militar não tem que investigar, mas as coisas andam tão atrapalhadas no Brasil atualmente que até as prerrogativas constitucionais estão às avessas.

Deu ruim

Juliana Roque e Luizão do Trento, respectivos prefeitos de Pimenta Bueno e Rolim de Moura, deixaram os cargos. Desde esta segunda-feira que as duas cidades estão sendo administradas pelos presidentes das Câmaras de Vereadores. Luizão e Juliana tiveram os mandatos cassados pelo Tribunal Regional Eleitoral que determinou eleições suplementares em ambos municípios.

No caso de Juliana

Foi um duplo baque para o casal Roque. Casada com o deputado estadual Cleiton Roque, a agora ex-prefeita venceu uma eleição complicada em 2016 contra o prefeito que tentava a reeleição. Como Jean Mendonça foi um péssimo gestor em seu primeiro mandato, a população escolheu Juliana. O problema é que para ser eleita, ela e o marido foram acusados de usar “métodos truculentos” durante o processo. No cargo, ela vinha conseguindo fazer uma boa gestão, mas os problemas de 2016 custaram-lhe os mandatos. Cleiton Roque está inelegível devido a condenação no mesmo processo que cassou Juliana.

Como é?

Lúcio Mosquini, candidato do MDB à reeleição de deputado federal, imprimiu material de campanha com seu nome e número, e ao lado uma foto com nome e número do candidato do PSL à presidência Jair Bolsonaro. O problema é que o PSL não está coligado com o MDB e Lúcio responde por corrupção. Mas, o que deve ser questionado de verdade é, de onde veio o dinheiro para imprimir esse material? Do fundo partidário ou do bolso do parlamentar? E ele declarou isso ao Tribunal Regional Eleitoral?

Suspendeu

Ao ser notificado da “esperteza” do parlamentar, o Tribunal Regional Eleitoral determinou a suspensão da propaganda e acrescentou, “a infidelidade abjeta do representado, que, de forma maquiavélica, anseia indevidamente aproveitar-se da valorosa imagem de Jair Bolsonaro, sem que houvesse qualquer ligação entre os partidos, pois o PSL não teve, não tem e não terá a intenção de peregrinar o caminho da mudança ao lado de políticos e partidos desse jaez. Coube ao Partido Social Liberal – PSL uma candidatura de pessoas de conduta ilibada, justamente para barrar políticos denunciados ou condenados. Compromissados com a ética, buscam debandar os políticos que se enveredaram para a corrupção que tem sido o grande mal deste rico país.”.

Gulosa

A deputada federal Marinha Raupp (MDB) foi acusada pela irmã de Confúcio Moura, Cláudia, que também é candidata à deputada federal pela mesma legenda, de ter comido 85% da verba de campanha do partido. De acordo com a denúncia, a deputada que busca a reeleição estaria usando R$ 2.3 milhões, enquanto Cláudia apenas R$ 150 mil.

Nesta terça

Acontece o primeiro debate entre os candidatos ao governo de Rondônia a ser transmitido por uma emissora. A partir das 22h15min, a TV Allamanda transmite o evento, que terá mediação do jornalista Daniel Adjuto, do Jornal do SBT, de Brasília. Segundo a organização, estão confirmados no debate os candidatos Acir Gurgacz (PDT), Marcos Rocha (PSL), Expedito Junior (PSDB), Maurão de Carvalho (MDB), Pimenta de Rondônia (PSOL) e Vinícius Miguel (REDE).

De jeito nenhum

O IBOPE liberou pesquisa nesta segunda-feira dos números da corrida ao governo de Rondônia. Acir Gurgacz lidera na rejeição, 27% dos entrevistados disseram que não votam no candidato do PDT. Logo atrás dele está Pimenta de Rondônia (PT) com 20% de rejeição. No segundo turno, o candidato do PDT perderia para Expedito Júnior (53×21%) ou Maurão de Carvalho (36×30%). Expedito também venceria Maurão (50×26%).

Sobre a pesquisa desta segunda-feira (17):

Margem de erro: 3 pontos percentuais para mais ou para menos

Quem foi ouvido: 812 eleitores do estado, com 16 anos ou mais

Quando a pesquisa foi feita: de 14 a 16 de setembro

Registro no TRE: RO-00295/2018

Registro no TSE: BR-05366/2018

O nível de confiança utilizado é de 95%. Isso quer dizer que há uma probabilidade de 95% de os resultados retratarem o atual momento eleitoral, considerando a margem de erro

0% significa que o candidato não atingiu 1%. Traço significa que o candidato não foi citado por nenhum entrevistado

Números completos

Expedito Júnior (PSDB): 32%

Acir Gurgcz (PDT): 14%

Maurão de Carvalho (MDB): 12%

Coronel Marcos Rocha (PSL): 4%

Pimenta de Rondônia (PSOL): 3%

Coronel Charlon (PRTB): 3%

Vinícius Miguel (REDE): 2%

Pedro Nazareno (PSTU): 1%

Comendador Valclei Queiroz (PMB): 0%

Brancos/nulos: 16%

Não sabe: 13%

Rejeição

Acir Gurgcz (PDT): 27%

Pimenta de Rondônia (PSOL): 20%

Expedito Júnior (PSDB): 19%

Coronel Charlon (PRTB): 14%

Vinícius Miguel (REDE): 14%

Coronel Marcos Rocha (PSL): 13%

Maurão de Carvalho (MDB): 13%

Pedro Nazareno (PSTU): 13%

Comendador Valclei Queiroz (PMB): 8%

Novo tratamento contra a tendinite usa o ultrassom

Dores nas mãos, nos ombros, nos joelhos. Lesões por esforços repetitivos, por conta do esporte, da ginástica. Não importa a idade, a profissão, o sexo. Qualquer pessoa está sujeita a sofrer com esses incômodos. E o que vem em seguida é uma maratona de médicos e exames até encontrar o tratamento correto. A boa notícia é que uma técnica inovadora – realizada com o ultrassom – vem mudando o jeito de abordar e tratar esses e muitos outros problemas reumatológicos. Desenvolvido em alguns países da Europa, o método foi trazido ao Brasil pela reumatologista Karine Luz. E o princípio é bem simples: “Depois do exame físico, faço o ultrassom na própria clínica para confirmar o diagnóstico. Os diversos planos de imagem permitem ver o que está acontecendo com o paciente”, diz a médica. Desta maneira, a especialista pode detectar anormalidades, inflamações, reumatismo, gota, espondilite anquilosante, síndrome de sjogren, entre outros problemas. Mas não para aí. O tratamento pode ser realizado no momento do diagnóstico e com ajuda do mesmo ultrassom. A imagem guia a médica na aplicação de medicamentos, fazendo com que o alvo da lesão seja atingido com precisão. Segundo pesquisa realizada pelo Ministério da Saúde, cerca de 12 milhões de brasileiros sofrem com doenças reumatológicas, que ocupa o segundo lugar no ranking de gastos com auxílio saúde no Brasil. “Em sua progressão, as doenças podem causar incapacidade física e impedir que as pessoas continuem desenvolvendo suas atividades, tenham que se afastar do mercado de trabalho ainda jovens porque não tiveram acesso ao diagnóstico preciso em um estágio em que poderiam obter a cura ou controle” complementa a médica.

Alan Alex
Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Ibope: Expedito segue liderando com 32%; Gurgacz lidera na rejeição, com 27%

Previous article

Melki consegue do TSE autorização para seguir atos de campanha

Next article

Comments

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may also like

More in Capa