Politico! Carregando

Coluna – Pelo monte de “se”que existe no cenário, Maurão pode ser o próximo governador

E ainda, Confúcio assumiu dívida de R% 8 bilhões do extinto Beron com a União

Bom momento

Maurão de Carvalho não desponta como favorito, vinha sendo tratado como última alternativa do MDB e foi ignorado por Confúcio Moura desde o ano passado. Confúcio tentou viabilizar a candidatura de Wagner Freitas no lugar de Maurão, mas não deu certo. A teimosia do presidente da Assembleia que apertou a executiva do MDB, vem garantindo que ele seja o candidato do partido nas eleições desse ano. E os ventos estão favoráveis ao parlamentar, e eu explico. Várias candidaturas dependem do “se”, e o momento atual não é nada propício a quem depende desses “se”.

Gurgacz e Cassol

Acir Gurgacz é de longe quem tem menos chance de conseguir sua candidatura ou mesmo uma liminar. Condenado por fraude em um financiamento, seu recurso tem uma probabilidade enorme de ser rejeitado, em torno de 90%, o que vem lhe tirando o sono, principalmente por estar em uma condição juridica pior que a de Ivo Cassol, que também foi condenado pelo STF, mas entrou com pedido de prescrição o que anularia a pena, e consequentemente garantia sua elegibilidade. Ai temos os primeiros “se”. Se Ivo Cassol e Acir Gurgacz estiverem fora do páreo o cenário é outro.

Expedito e Daniel

Daniel Pereira repetiu quase como um mantra (e ainda repete) que não será candidato à reeleição, se Acir ou Maurão forem candidatos. Restaria nesse caso um “se”. Se Maurão aceitar ser vice de Daniel, o cenário é um, ou Daniel pode cumprir com a palavra e apoiar Maurão. Já Expedito Júnior é candidatíssimo ao governo do Estado, e o PSDB se organiza para isso, mas os ventos não estão soprando a favor de Expedito, o Estado o enxerga como senador, e mudar esse rumo seria extremamente temeroso nessa altura. E ele incorreria no erro de trocar o quase certo pelo muito duvidoso, mas a mosca azul é terrível, e na maioria das vezes deixa o sujeito míope.

Além disso

Os tucanos estão querendo fazer um voo solo, acreditando as asas estão com envergadura suficiente para isso. Correm o risco de queimar tal qual ícaro, quando chegou perto do Sol com asas de cera. O momento atual recomenda cautela e a composição de alianças e o atual cenário, com tantos “se”, favorece e muito o presidente da Assembleia.

Maurão de Carvalho

Maurão está em seu quinto mandato como deputado estadual, passou por uma série de tempestades que atingiram o legislativo estadual e saiu levemente molhado, perto de seus antigos pares, alguns inclusives estão presos, como Marcos Donadon e Natanael Silva. Foi vice-presidente da Casa e depois eleito presidente, isso sem precisar fazer as lambanças de seus antecessores, como isolar parlamentares antes da votação da Mesa, ou comprar votos, conforme denúncias de um passado recente. Vem conseguindo fazer uma gestão sem sobressaltos e agrega em praticamente todos os segmentos, do setor produtivo aos evangélicos e grande parte da classe política.

Daí conclui-se

Se as coisas caminharem conforme os cenários apresentados acima, a candidatura de Maurão, que já deixou de ser um mero devaneio há algum tempo, toma corpo e se molda no sentido de ter sucesso. É questão de acompanhar os próximos movimentos.

Na Emater

Além de ter ido na sede da Coordenação Regional de Ensino em Cacoal, o ex-governador Confúcio Moura, que é pré-candidato nas eleições desse ano, também esteve na Emater reunido com técnicos e servidores na última segunda-feira. Só que por lá a jeripoca chiou. A primeira pergunta que ele teve que responder foi, “onde o senhor estava nos últimos 7 anos que não apareceu por aqui”. Daí já dá pra perceber que a visita foi bem curta.

Falando em Confúcio

Nesta terça-feira o senador Ivo Cassol afirmou, durante sessão na Comissão de Agricultura da Casa, que o ex-governador Confúcio Moura assumiu uma dívida do extinto Beron que alcança quase R$8 bilhões e que deverá ser paga até 2048. De acordo com o Cassol, o pagamento da dívida estava suspenso depois que ele, na época governador do Estado entrou no Supremo Tribunal Federal questionando os valores. Ocorre que em outubro de 2017, Confúcio Moura, mesmo antes da decisão final do STF, reconheceu a dívida que saltou de R$ 2bi para quase R$8 bilhões. “Peço desculpas a quem defende esse governo do Confúcio Moura, mas esse governo devia estar na cadeia, nós vamos ficar como o Rio de Janeiro, totalmente endividados, por incompetência e ingerência desse governador. Faz 4 anos que eles não pagam a dívida porque eu entrei na Justiça quando era governador, e o STF suspendeu, e agora, ele assume essa dívida, uma confissão, esse pessoal tinha que ser preso, isso é inaceitável. O povo de Rondônia não merece isso”, reagiu Cassol.

Há tempos

Que PAINEL POLÍTICO vem alertando para as maquiagens financeiras que foram feitas pelo governo de Confúcio Moura, e que essa bomba ia estourar mais cedo ou mais tarde. Rondônia vai entrar em um espiral de dívidas a partir de 2019. É esperar o próximo governo para que a coisa seja revelada em toda sua extensão.

Estudo identifica 100 genes que determinam a cor do cabelo

Uma equipe de cientistas identificou 124 genes que contribuem para determinar a cor do cabelo, uma descoberta que ajuda a entender doenças vinculadas à pigmentação, como o melanoma, uma forma agressiva de câncer de pele. A descoberta foi feita por especialistas do King’s College de Londres e do Centro Médico Erasmus de Roterdã e publicada na “Nature Communications” nesta segunda-feira (16). O novo estudo conseguiu determinar genes desconhecidos até então, após analisar o DNA de quase 300 mil pessoas de descendência europeia, junto com a informação fornecida por eles mesmos sobre a cor do cabelo. Ao comparar as contribuições recebidas com a informação genética, a equipe identificou 124 genes envolvidos no desenvolvimento da cor, dos quais mais de cem tinham desconhecida a influência na pigmentação.

Alan Alex
Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *