Coluna Painel Político

Coluna – “Professor não tem que trabalhar por salário, e sim por amor” é a proposta do governo para o Sintero

0

E ainda, três anos se passaram desde que a cúpula da segurança pública foi a Colômbia em intercâmbio e a coisa só piorou em RO

Nem um real

A justiça rondoniense determinou na semana passada o bloqueio de até R$ 18,5 milhões nas contas e bens do ex-diretor do DER, Isequiel Neiva, dos proprietários da construtora Ouro Verde e de uma Câmara Arbitral de Ji-Paraná. Nas contas a justiça não encontrou dinheiro, mas Neiva teve gado e outros bens bloqueados. Na conta da empresa também não foi achado dinheiro e o maior prejudicado, até o momento, é o próprio Isequiel.

Alinhando

Confúcio Moura e Daniel Pereira estão alinhando os finalmentes para a transição. Moura é candidatíssimo ao Senado. A única dúvida é se ele vem pelo MDB ou vai trocar de partido.

Resultado?

“Intercâmbio de informações referentes a políticas e gestão de segurança pública para implementação no Estado de Rondônia”, essa foi a justificativa para uma viagem à Colômbia, em 2015 da qual fez parte uma comitiva da segurança pública de Rondônia, entre eles o agora Comandante-Geral da Polícia Militar de Rondônia, Enedy Dias o então o secretário de segurança Antônio Carlos dos Reis, o delegado Celso Souza Santos, o coronel bombeiro Felipe Santiago Chianca Pimentel, os coronéis da Polícia Militar Fernando Luiz Brum Pretiz e José Hélio Cysneiros Pachá, além do então diretor de polícia Pedro Roberto Mancebo e o tenente coronel Ranilson Lyra Brainer. O resultado dessa viagem para a melhoria da segurança pública do Estado? A população aguarda até hoje.

Na época

Criticamos a viagem e ressaltamos que ela foi totalmente desnecessária, já que se tratava de uma troca de experiências que poderia ser feita pela internet, afinal trata-se de um modelo que em tese poderia ser implantado no Brasil. O tempo passou, em 6 de abril está completando três anos, e a segurança em Rondônia, até onde se sabe, só piorou. Enedy é comandante-geral da PM, e nem pode dizer que “não aplicaram o conhecimento adquirido no intercâmbio”, afinal, ele tem a caneta. Critiquei a viagem em 2015 e sigo cobrando o resultado prático da viagem, exceto um certificado a mais no currículo das autoridades.

Segue a vida

Apesar do embaraço causado pela divulgação da conversa atrapalhada com Jesuíno Boabaid, o deputado Maurão de Carvalho segue com seu projeto de ser candidato do MDB ao governo. Nos próximos dias, Maurão deve participar de uma série de agendas no interior do Estado. Para o presidente, “Deus é quem define o melhor caminho e é quem sabe o futuro”. Maurão disse que “não fez mal para ninguém e nem deseja nada de ruim para os outros, mas quem planta, colhe”, profetizou.

Sem proposta

O governo reúne, reúne e não apresenta nada para os professores, que continuam em greve. Segundo um áudio que corre nos grupos de Whatsapp da categoria, o Chefe da Casa Civil Emerson Castro, em reunião com os representantes do sindicato teria dito que “professor não tem que trabalhar por salário, e sim por amor”. Então tá. Se ele falou isso, de fato, não posso confirmar, não estava lá, mas ele já soltou pérolas similares no passado, então nem dá para duvidar.

A idéia é boa

O deputado Cleiton Roque propôs que o atual prédio da Assembleia Legislativa seja repassado ao Estado para que possa ser implantada uma extensão do Pronto Socorro João Paulo II, uma espécie de unidade de internação, onde o paciente vai ficar após o primeiro atendimento. A idéia é boa e resolveria o gargalo dos internados, que ficam nos corredores atualmente. Para Cleiton, “dá para abrir uns 100 leitos” no prédio.

Nos finalmentes

A assembleia quer que o Tribunal de Contas julgue logo o relatório das obras do prédio novo, para poder cobrar da construtora os detalhes que faltam para que seja feita a mudança. A previsão é de mudar antes de junho.

Em fase de projeto

Já o deputado Léo Moraes avalia proposta para isentar de ICMS os produtos da cesta básica de material escolar, uma grande iniciativa que vai ajudar, e muito os pais de alunos, que já são extorquidos anualmente pelas editoras q ue empurram os livros didáticos “obrigatórios” e aquela lista enorme que é o terror de todos os janeiros.

Tendência

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) deve caminhar no sentido de manter as decisões dos Tribunais Regionais Eleitorais (TRE), ao menos essa é a tendência da Corte para as eleições desse ano, segundo o entendimento do advogado Diego Vasconcelos. Ele avalia que Rosa Weber, sucessora de Luiz Fux deve manter o mesmo ritmo, que é o de não polemizar. Se isso se concretizar, e levando em consideração todos os julgamentos do TRE/RO, a coisa vai ficar bem complicada para quem tem pendências judiciais. O caminho é bem diferente da forma de condução que tem Gilmar Mendes e Lewandowsky, que são mais garantistas e preferem que o eleitor faça essa escolha. Particularmente concordo com a frase “cada povo tem o governo que merece”, então ele que escolha.

No ninho

Tucanato andou reunido em Porto Velho definindo os rumos a seguir na eleição de 2018.

Podemos, mas nem tanto

Na semana passada circulou uma notícia que o ex-Procurador Geral Héverton Aguiar estava em Brasília articulando para pegar o comando do PODEMOS, de Álvaro Dias no Estado. Essa informação está longe de ser verdadeira. Héverton está em viagem de moto pelo Peru e deve retornar ao Estado ainda essa semana.

Aumento de um terço até a metade

O Senado aumentou as penas para o crime de feminicídio no Brasil. Se o crime for praticado contra pessoa com doenças degenerativas que acarretem condição limitante ou de vulnerabilidade física ou mental ou se for cometido na presença virtual de descendente ou de ascendente da vítima, a pena será aumentada em um terço até a metade. Atualmente a pena do feminicídio é aumentada quando o crime for praticado durante a gestação ou nos três meses posteriores ao parto; contra pessoa menor de 14 anos, maior de 60 anos ou com deficiência; na presença de descendente ou de ascendente da vítima. Nesses casos (já previstos na legislação).

O que passa em nossa cabeça no momento da morte?

Uma equipe de cientistas da Universidade Charitée, em Berlim, e também da Universidade de Cincinnati, nos Estados Unidos, encontraram uma maneira de realizar um pioneiro estudo sobre a neurobiologia da morte. A pesquisa foi liderada pelo cientista Jens Dreier. O título da pesquisa foi “Depolarização da difusão terminal e silêncio elétrico na morte do córtex cerebral humano”. O estudo exigia um monitoramento neural considerado invasivo. Os pacientes tinham sofrido terríveis acidentes de trânsito, acidentes vasculares cerebrais ou paradas cardíacas. Ou seja, nesses casos, não havia mais como salvá-los. Ao trabalhar com essas pessoas, os cientistas descobriram que os cérebros dos animais e dos seres humanos morrem de uma maneira parecida. Eles agora dizem mas que também existe um exíguo momento em que o funcionamento do cérebro pode ser restaurado, ao menos de forma hipotética. O objetivo do estudo não era apenas observar os últimos momentos de um cérebro, mas também compreender como seria possível salvar vidas no futuro.

Alan Alex
Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Coluna – O furacão passou e Confúcio até agora não deu explicações

Previous article

TRF determina inutilização de grampos telefônicos em escritório de advocacia que defende Lula

Next article

Comments

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may also like