Questões não muito bem explicadas causaram a mudança; e ainda, Janaína Pascoal deve ser vice de Bolsonaro, e o TRE que não explica o afastamento (ou não) do prefeito de Rolim

Mudou geral

O PSL de Jair Bolsonaro mudou toda a executiva da legenda em Rondônia, destituindo a anterior por desentendimentos sobre candidaturas e questões de infidelidade partidária. Rumores que circulam em grupos de Whatsapp falam em pedidos de somas astronômicas que vinham sendo feitos por alguns ex-dirigentes da legenda, mas o presidente, coronel Marcos Rocha, por telefone, afirmou que essa informação não procede. Apesar de no site do PSL ainda constar a antiga executiva, apenas Marcos Rocha foi mantido. O vice agora é Euclides Noko e João Cipriano secretário-geral da legenda.

Quer nem papo

Desde quinta-feira que circulam informações sobre uma aliança entre Acir Gurgacz e Ivo Cassol. Não houve. Cassol está no Mequéns pescando e se afastou totalmente do processo quando soube do início das conversações. Para ele, a questão deve ser debatida entre os candidatos.

Tá complicado

Na semana passada o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) cassou o prefeito e o vice de Rolim de Moura. Os advogados do prefeito disseram que o presidente do TRE, desembargador Sansão Saldanha teria dito que somente após o trânsito em julgado da ação que seriam (ou não) convocadas novas eleições. Mas isso não consta no áudio da sessão, pois teria sido dito após o encerramento. Devido à dúvida, no dia seguinte (13/07) encaminhamos um pedido à assessoria de comunicação do TRE sobre o caso. cri…cri…cri

Nesta sexta-feira

Houve a publicação do acórdão, e tão confuso quanto foi o julgamento, diz, “recurso conhecido e provido para julgar procedente a Representação e cassar os diplomas dos recorridos e  respectivos mandatos eletivos, com determinação de imediata realização de novas eleições no município, nos termos dos artigos 224, § 3º, e 257, caput, do Código Eleitoral”. Só que mais abaixo também fala, “conhecer de questão de fato apresentada em  sessão pelo causídico da parte recorrida; e por fim, em conhecer do recurso, e no mérito, dar-lhe provimento”. Aí fizemos contato com a assessoria do presidente, e a resposta, acreditem, foi exatamente a mesma da assessoria de comunicação…cri…cri.cri.

O fato

É de extrema relevância, afinal trata-se do afastamento (ou não) do prefeito de uma cidade com pouco mais de 55 mil habitantes que vive um momento de total insegurança jurídica e o TRE não esclarece de uma vez por todas se Luizão será afastado em definitivo agora ou apenas quando transitar em julgado a questão. Que prazos processuais precisam ser respeitados, é lógico, mas esclarecer um assunto dessa natureza é primordial.

Um abraço

Um grupo de ex-comissionados de Confúcio Moura no governo, que agora se dizem “voluntários de campanha” está promovendo um evento de apoio ao ex-governador, intitulado “Um abraço em #ConfúcioMoura. É na segunda-feira em Porto Velho. Quem estiver com saudades, pode correr atrás de saber onde será. Eu tenho mais o que fazer.

Sabadão promete

O sábado deve ser agitado no interior do Estado. Encontros políticos vão acontecer em Jaru, Ouro Preto e Ji-Paraná, além de eventos menores em outros municípios. Alianças e conversas fervilham e as calculadoras estão quentes de tanto somar coeficientes eleitorais e chances de eleição. A situação mais complicada é a de deputado federal, que são apenas 8 vagas, com pelo menos o triplo de nomes de peso na disputa.

A última

Das redes sociais é uma analogia à prisão do médico carioca responsável pela morte de uma paciente durante um procedimento estético. Dizem que Gilmar Mendes vai soltar o bumbum (para quem não sabe, o sujeito se intitula ‘doutor bumbum’).

Bolsonaro arrumou uma vice

A advogada Janaína Paschoal, professora de Direito da USP, está perto de ser anunciada como candidata a vice na chapa do presidenciável Jair Bolsonaro (PSL). Os dois se falaram por telefone na quinta-feira, e Janaína deve vir ao Rio neste sábado para conversar pessoalmente com o pré-candidato — será a primeira vez em que Bolsonaro e a advogada vão se encontrar. Caso as negociações avancem, a parceria será anunciada oficialmente na manhã de domingo, na convenção nacional do PSL. O próprio pré-candidato antecipou as informações ao jornal O Globo na tarde desta sexta-feira.

Vacinação de adolescentes contra vírus HPV que causa câncer não avança no Brasil

Cinco anos depois de o Brasil fazer a primeira campanha nacional de vacinação contra o Papilomavírus Humano (HPV) e de disponibilizar a vacina gratuitamente no Sistema Único de Saúde (SUS), apenas 48,7% das meninas entre 9 a 14 anos no país – a população-alvo recomendada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) – foram imunizadas. O HPV é responsável por 99% dos casos câncer de colo de útero, o terceiro mais frequente entre as mulheres no Brasil, o quarto que mais mata – e um dos poucos que pode ser prevenido com vacina. Países como a Austrália conseguiram reduzir a prevalência do HPV na população para cerca de 1% e estão perto de erradicar o câncer de colo de útero. Em vizinhos como o Chile, a cobertura da vacina passa de 70%. Para que a cobertura chegue à meta de 80% estabelecida pelo Ministério da Saúde, que proporcionaria redução significativa dos casos de câncer e da incidência de verruga genital, por exemplo, a imunização deveria voltar para as escolas, ela destaca, como fazem Austrália e Chile – este último, convidado da próxima Jornada Nacional de Imunizações, organizado pela SBIm, para compartilhar sua experiência. A vacina distribuída no Brasil é quadrivalente. Ela imuniza contra dois tipos do vírus do HPV considerados de alto risco, o 16 e 18, apontados como responsáveis por 70% dos casos de câncer de colo de útero, e contra os dois tipos de baixo risco responsáveis por 90% das verrugas genitais, o 6 e 11. É fornecida gratuitamente para meninas com idade entre 9 e 14 anos e para meninos entre 11 e 14 anos. Na rede privada, cada dose custa por volta de R$ 200.

Alan Alex

Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *