0

Prefeito, antes em alta, agora serve como “fiador ao contrário”

No segundo turno das eleições municipais de 2016 ele tinha milhares de defensores raivosos que exaltavam o fato dele ter sido “promotor de justiça” e “conhecer bandido com dois minutos de conversa”. Graças a isso, conseguiu ser eleito como “o cara que resolveria tudo em Porto Velho”. Passados quase dois anos, os defensores sumiram, a popularidade despencou e a realidade se fez presente. Hildon Chaves se mostrou totalmente perdido para administrar a cidade e hoje é uma sombra do que era em janeiro de 2017.

Na campanha eleitoral deste ano ele ressurgiu, e agora, mesmo sem ser convidado, aparece em eventos políticos que são promovidos por alguns de seus aliados. Quando discursa, joga a culpa de sua inoperância em Confúcio Moura, “não tinha um governador a meu lado, e agora terei”, e aponta Expedito Júnior como seu candidato.

O problema é que isso vem servindo como um fiador ao contrário, e prejudica a campanha do colega de legenda. Sondagens indicam que em Porto Velho, Expedito cresce quando consegue descolar sua imagem de Hildon, e que a primeira dama, Ieda Chaves faz a diferença. Discreta e elegante, ela demonstra carisma e empatia com a população. E esse carisma tem feito diferença. Hildon abraçou a candidatura do vereador Alan Queiroz para deputado estadual e Ieda a de Ivonete Gomes, ex-secretária de Esportes do município. A “preferência” de Hildon ainda complica o prefeito na Câmara de Vereadores, já que os demais que fazem parte de seu grupo de sustentação, ficam enciumados.

Alan Queiroz já “bateu na trave” em eleições anteriores e se isso ocorrer novamente, ele terá que administrar seu retorno à câmara como “queridinho do prefeito”.

Enquanto isso, Ieda Chaves segue, discreta e carismática, na campanha de Ivonete Gomes, a quem atribui o desenvolvimento de ações concretas na área de esportes do município. Já Expedito Júnior, que tem grande apreço pelo prefeito, corre para convencer o eleitorado que “amigos, amigos, eleições à parte”. 

A prova de que Hildon anda em baixa são suas postagens em redes sociais. O alcance orgânico (aquele que não é pago), antes era de 30, 40, até 100 mil interações, entre visualizações, curtidas e compartilhamentos. Sequer uma “nota de repúdio” do prefeito, contra o atentado a Jair Bolsonaro teve um alcance razoável. Atingiram menos de 500 interações. Ieda Chaves, por sua vez, prefere postar campanhas preventivas como “Setembro Amarelo”,  violência contra a mulher, além de convites para eventos, como a festa do dia das crianças (video acima) e atinge mais de 35 mil interações.

Resta saber como será o rescaldo das eleições deste ano. Pelo discurso que vem fazendo, Hildon aposta na eleição de Expedito para “cuidar de Porto Velho”, mas, e se o resultado for outro? Essa é uma resposta que pelo jeito só teremos após janeiro de 2019.

Alan Alex
Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Ferramenta permite verificar se político é citado em alguma ação judicial

Previous article

Projetos do Senado miram o mal causado pelos plásticos ao meio ambiente

Next article

Comments

Participe do debate. Comente!

You may also like