0

Wilson Tabalipa afirmou que Rosani Donadon chegou a nomear funcionário do escritório de advocacia de Porto Velho

A ex-prefeita de Vilhena, Rosani Donadon (MDB) está sendo acusada de ter pago o escritório de advocacia que cuida de sua defesa na justiça eleitoral nomeando em cargo público um funcionário do escritório com salário de R$ 7.900 que seria para pagamento de honorários.

A denúncia foi feita pelo vereador do Podemos, Wilson Tabalipa, que também é policial civil nesta quarta-feira. De acordo com o vereador, o pagamento era feito anteriormente a uma empresária de Porto Velho que, segundo ele, “nunca trabalhou”, mas ela era “laranja” do escritório. Foram pagos salários de R$ 7.900 entre fevereiro e novembro de 2017. Com a revelação do caso, o escritório então indicou Francisco Ramon Pereira Barros para o mesmo cargo.

O parlamentar descobriu, através do perfil do jovem numa rede social, que ele dizia ser funcionário do escritório Veríssimo Advogados Associados, que atua na justiça em causas envolvendo a ex-mandatária.

Ao consultar o Portal da Transparência da prefeitura de Vilhena, e não encontrar o nome do portariado, Tabalipa buscou mais detalhes da situação e descobriu que o decreto de nomeação dele foi anulado dois meses depois de assinado.O rapaz estaria lotado na Procuradoria do município.

A suspeita é de que, já alertada pela investigação do MP contra Rosimar, equipe da ex-prefeita tenha abortado o pagamento dos salários a Francisco Ramon, que não chegou a receber nenhum vencimento. Mas, antes mesmo de Rosani desafazer o ato, a denúncia sobre a irregularidade já havia chegado ao Ministério Público, que apura a nomeação.

Com a palavra Manoel Veríssimo

Contatado através de seu telefone celular, Manoel Veríssimo declarou:

O advogado Francisco Ramon não é meu funcionário. Na advocacia existe a possibilidade dos profissionais se reunirem, e o Dr Ramon é advogado associado assim como os outros.
O fato dele ter exercido suas funções como advogado que é, junto a procuradoria do município não constituí nenhuma crime ou ato de improbidade.

Com a palavra, Rosani Donadon

Em nota, a ex-prefeita rebateu as acusações, leia:

Politicagem: denúncia foi feita para manchar a imagem de Rosani Donadon

A assessoria da ex-prefeita Rosani Donadon (MDB) vem a público explicar que a ex-mandatária de Vilhena desconhece qualquer procedimento investigatório do Ministério Público (MP) em relação ao caso apontado pelo vereador Tabalipa. O órgão de fiscalização não intimou a ex-prefeita para prestar qualquer informação a respeito do assunto.

Sabe-se que é comum em período eleitoral surgir denuncismos de qualquer natureza a fim de manchar a imagem da prefeita. É comum, também, por parte de grupos políticos que não têm proposta de trabalho nem plano de governo condizente com a realidade, tentar desferir ataques à candidata Rosani Donadon, que vem liderando o pleito eleitoral.

Eles não conseguem aceitar que uma mulher de origem humilde, mas muito determinada, tenha conseguido colocar a prefeitura de Vilhena nos trilhos e utilizam-se de todos os tipos de artifícios para tentar manchar seu nome.

Quanto ao apontamento relacionado na “denúncia”, é necessário esclarecer que a pessoa citada pelo vereador é advogado e foi contratado para prestar serviços de assessoria junto à Procuradoria Geral do Município (PGM) a qual possui uma representação em Porto Velho, criada por lei da gestão Rover e com anuência da câmara de vereadores. O profissional não recebeu nenhum pagamento, pois pediu exoneração alegando motivos pessoais.

Alan Alex
Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

“Confúcio criou uma expectativa falsa simplesmente para uma promoção política”, acusa Cassol

Previous article

Governo pede trégua, mas reunião com caminhoneiros termina sem acordo

Next article

Comments

Participe do debate. Comente!

You may also like